Regiões

Bengo ganha Instituto Médio de Administração e Gestão

Alfredo Ferreira | Caxito

Jornalista

O Ministério da Educação determinou, há dias, a criação da Escola do II Ciclo do Ensino Secundário Técnico-profissional, denominada “Instituto Politécnico de Administração e Gestão nº 395”, que deverá funcionar na cidade de Caxito, município do Dande, província do Bengo.

15/09/2021  Última atualização 09H30
Parte frontal do Magistério onde vão ser ministradas as aulas © Fotografia por: Edmundo Eucílio | Edições Novembro | Caxito
A escola vai ter 13 salas de aula, que vão permitir a criação de 39 turmas, subdivididas em três turnos, com 36 alunos por cada turma.
O novo instituto médio, com capacidade para acolher 1.404 estudantes, foi criado por via do Decreto Executivo nº 516/2021 de 20 de Julho, ao abrigo do disposto no artigo 119º da lei nº 17/16, de 7 de Outubro, que aprova a Lei de Base do Sistema de Educação e En-sino, conjugado com o Decreto Presidencial nº 104/11, de 23 de Maio, que define as condições e Procedimentos de Elaboração, Gestão e Controlo de quadros e pessoal da Função Pública.

Quanto à grelha curricular, o Instituto Politécnico de Administração e Gestão (IPAG) vai ministrar cursos de Contabilidade e Gestão, de Estatística e Planeamento, Administração e Autarquias Locais, Economia e Finanças Públicas e de Auditoria. A nova instituição de ensino vai ocupar as instalações onde funciona actualmente a Escola de Magistério "Kimamuenho”, que contará, nos próximos dias, com novas instalações, na zona de Caboxa, na sede provincial.


Importância da criação do IPAG

Segundo o economista Fernando Castro, o novo Instituto Politécnico de Administração e Gestão vai alargar as opções de escolha e de oportunidades de formação dos jovens residentes na província do Bengo.

"A instituição vai oferecer bons cursos de nível médio, que, na minha opinião, serão os melhores, sem desrespeitar outros que também são importantes para o desenvolvimento do Bengo, em particular, e do país no geral, porque todos contribuem para o crescimento social que se pretende”, proferiu. Para o professor António Sabino, a entrada em funcionamento da nova instituição de ensino técnico-profissional constitui mais-valia para a província do Bengo. "Esperamos que as aulas arranquem imediatamente, para que mais jovens consigam concluir o ensino médio e ganhem o direito de sonhar com a universidade. Com a abertura desses cursos, muitos jovens vão deixar de se deslocar a Luanda e para outros pontos do país”, referiu.

Já a jovem Viviana António conta que se desviou do sonho de se formar na área de Contabilidade e Gestão. "Infelizmente não tínhamos este curso na província e acabei por matricular-me na Escola de Magistério "Kimamuenho”, onde concluí o curso médio de Pedagogia”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões