Política

Benedito Daniel promete rede nacional rodoviária

Valter gomes| Uíge

O presidente do PRS, Benedito Daniel, afirmou, ontem, no Uíge que, caso venças as eleições do dia 24 deste mês, vai criar um plano para a construção de uma rede rodoviária nacional que irá interligar as estradas nacionais e as primárias, secundárias e terciárias.

13/08/2022  Última atualização 07H20
Presidente do PRS, Benedito Daniel © Fotografia por: Edições Novembro

O também candidato a Presidente da República, que falava num acto político no qual participaram centenas de militantes e simpatizantes do seu partido, disse que, hoje, só há circulação nas estradas que ligam a capital do país às sedes provinciais. A circulação entre as sedes provinciais e municipais ou comunais é quase que impossível, porque as estradas estão degradadas, referindo que isso impede o desenvolvimento harmonioso de várias zonas.

Para a província do Uíge, Benedito Daniel prometeu construir a estrada que liga a cidade do Uíge à Mbanza Kongo, no Zaire, bem como as vias que ligam todas as sedes comunais do Uíge. Segundo o político, a ideia é garantir o desenvolvimento rural e incentivar a produção agrícola. "A par disto, vamos também reforçar as frotas de transportes públicos para permitir maior circulação de pessoas e bens”, garantiu.

 

Respeito à cultura nacional

O candidato a Presidente da República pelo PRS disse não existir povo sem identidade cultural. Sendo Angola um país com usos e costumes, Benedito Daniel prometeu, em caso de vitória eleitoral, vai fazer com que as línguas nacionais sejam estudadas nas escolas primárias e secundárias, bem como fazer respeitar todos os usos  e costumes da população.

Relativamente à  liberdade religiosa, o político defendeu que esta deve funcionar em pleno, seja qual for a origem da sua religião. "O PRS irá permitir que todos os cidadãos sigam a sua convicção religiosa sem interferência”, garantiu.

Os militantes e simpatizantes do PRS participantes no acto político manifestaram-se satisfeitos com os pronunciamentos do líder partidário. Sebastião Dombaxi disse que o programa de governação do partido está assente em três principais eixos: a organização de um estado federado, o combate às assimetrias sociais e a partilha de riquezas do país. O militante considera que a aposta foi bem direccionada, uma vez que reflecte aquilo que a população vive.

Para Dombaxi, Angola possui muitos recursos naturais mas não têm beneficiados toda a população. "Com o federalismo, será possível cada província desenvolver-se em função dos seus recursos naturais e a população também será beneficiária”, disse.

Manuel dos Santos José, militante que saiu de Quitexe, 40 quilómetros da cidade do Uíge, disse que regressa ao seu município com uma ideia clara e na esperança de que o seu partido vai trazer mudanças na vida da população. "Ouvi atentamente o discurso do nosso presidente e acredito que o caminho para o desenvolvimento descentralizado é esse que o candidato traçou”, asseverou.

O PRS foi o terceiro partido mais votado em 2017, atrás do MPLA, UNITA e CASA-CE. O partido liderado por Benedito Daniel teve 1,35 por cento dos votos e elegeu dois deputados. Na província do Uíge, foi o penúltimo mais votado, com 1,40% dos votos, apenas à frente da APN, com 0,80%.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política