Cultura

Beleza da mulher retratada em exposição de artesanato

Manuel Albano

Jornalista

Uma exposição de peças de artesanato, que retratam a beleza da mulher, está pa-tente até amanhã, no espaço cultural “Nona Brisa”, para celebrar mais um aniversário da jornalista cultural Aminata Goubel, da Rádio Nacional de Angola (RNA), assinalado a 20 deste mês.

30/07/2022  Última atualização 12H21
Casal Aminata Goubel e Lopito Feijó colecciona há vários anos peças de arte que estão expostas no espaço cultural no Benfica © Fotografia por: DR
A mentora do projecto seleccionou da sua Casa Museu, peças de arte que o casal, Lopito Feijó e Aminata Goubel, colecciona há vários anos e decidiu partilhar com mulheres de diferentes estratos da sociedade.

De acordo com Aminata Goubel, a mostra visa despertar a atenção das mulheres para preservarem a cultura nacional como factor de identidade. Na exposição estão patentes peças que retratam a beleza feminina, como penteados africanos, esculturas, colares feitos de panos africanos e missangas.

Dos vestidos expostos destacam-se os produzidos com tecidos africanos como samakaka e capulana, de Moçambique, assim como de panos de Cabo Verde, Quénia e Tanzânia. A mostra tem, igualmente, expostos outros tipos de esculturas trabalhadas por artesãs e vários tipos de chás nacionais, com destaque para o de kapungopungo, eucalipto, folhas de limão, caxinde e manjericão, num incentivo ao consumo da produção nacional e natural.

 

Encontro de reflexão

Um encontro de reflexão sobre "A União entre as Mulheres como Factor de Paz e Desenvolvimento do Continente Africano” junta, igualmente, amanhã, entre às 10h00 e 18h00, várias personalidades femininas, no espaço cultural "Nona Brisa”, no Benfica, para assinalar o 31 de Julho, Dia da Mulher Africana.

A troca de conhecimentos entre mulheres de várias gerações é o propósito do encontro, numa parceria com as irmãs Magalhães, disse, ontem, em declarações ao Jornal de Angola, a promotora do evento.

Aminata Goubel, também conhecida como "Mamã África”,explicou que a ideia desta segunda edição é criar mais um espaço de debates socioculturais na cidade promovido por mulheres ligadas ao mundo das artes.

Embora tenha sido configurado para encontros de mulheres para mulheres, a actividade é aberta a assistência masculina. Em momentos intercalados, segundo o programa, muito antes do início do encontro marcado, haverá exibições de peças de teatro sobre a realidade sociocultural dos angolanos e o papel interventivo da mulher no desenvolvimento comunitário, desfile de moda com trajes africanos.

Durante o convívio, afirmou, estão reservados momentos de trova, com uma selecção de temas que vão fazer uma incursão alguns dos clássicos angolanos e africanos durante as performances dos convidados para animar o ambiente do encontro.

A jornalista cultural adiantou que o contributo das mulheres nas artes ao longo dos 46 anos de independência vai igualmente merecer algum destaque durante os debates, como um assunto que precisa de ter ainda maior divulgação por várias instituições socioculturais e figuras públicas ligadas ao sector no país.

Aminata Goubel espera que o encontro consiga produzir os resultados positivos da primeira edição que abordou o " Papel da Mulher Africana na Protecção da pandemia da Covid-19”, visando a um maior reconhecimento da sociedade. O momento dos depoimentos desta edição vai contar com a participação da escritora Elsa Barber, da nutricionista Maria Tuty Taty e mulheres de vários estratos sociais, que vão apresentar várias propostas, sobretudo da importância de alteração dos hábitos alimentares para uma vida mais saudável, com uma dieta a base de produtos do campo preferencialmente.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura