Economia

BDA estimula a produção intensiva de café arábica

O Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA) promoveu na quinta-feira, no município de Amboim (Cuanza-Sul), um seminário dedicado ao fomento da produção intensiva de café arábica no país.

03/08/2019  Última atualização 10H06
Jaimagens

Enquadrada na implementação do seu plano estratégico 2018-2022, no âmbito do fomento da economia, a iniciativa do banco visa contribuir para os esforços de desenvolvimento de fileiras produtivas com potencial de exportação.
Para o efeito, o banco celebrou um contrato de assistência técnica com uma entidade especializada da Índia para o desenvolvimento e exploração sustentável de fazendas cafeeiras de médio e grande porte e uma eventual mobilização de investidores indianos.
Além do seminário que serviu para interagir com os principais intervenientes na produção de café no Cuanza-Sul, os responsáveis do banco realizaram, nos dias 30 e 31 de Julho, visitas a seis fazendas, nos municípios de Amboim, Quibala e Libolo.
O seminário teve como prelectores dois especialistas indianos que abordaram a experiência de desenvolvimento do sector do café na Índia e um especialista do Instituto Nacional do Café (Inca), que apresentou o quadro actual do subsector em Angola.
No Cuanza-Sul, cerca de nove mil 600 hectares de terras para produção do café arábica e robusta foram renovados até Junho de 2018.
O relançamento da produção do café nesta província iniciou 2002, com a produção de sementes, fornecimento de mudas aos produtores familiares, aumento das áreas de produção e recuperação de várias fazendas. Para sustentar o projecto, foram distribuídas 8.419 mudas de café e 2.105 sombreadoras.
No Cuanza-Sul, o município de Amboim é o maior produtor do café, com mais de 100 associações produtivas, 14 cooperativas com quatro mil membros, dos mais de seis mil produtores familiares cadastrados. A Amboim, segue-se os municípios de Ebo, Mussende, Libolo, Conda, Cassongue e Seles.
Com uma produção anual de três mil toneladas, o Cuanza-Sul conta com brigadas técnicas de intervenção em vários municípios.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia