Economia

Bancos regionais venderam dólares com taxas menos competitivas

Bancos regionais como o de Crédito do Sul (BCS) e de Investimento Rural (BIR) venderam, ontem, pelo quarto dia consecutivo, as divisas mais caras do interbancário, invertendo a tendência de taxas baixas a que operaram nas semanas precedentes.

10/07/2020  Última atualização 08H05
DR

Números compilados pelo Jornal de Angola com base em dados divulgados pelo BNA indicam que o BCS e o BIR ofereceram, ontem, o dólar a 618,956 e a 613,600 kwanzas, assim como o euro a 698,088 e a 693,307 kwanzas, as taxas mais altas do mercado. 

O Finibanco, com uma oferta do dólar situada nos 610,201 kwanzas e do euro em 689,467, foi o banco que operou com a terceira taxa de câmbio menos competitiva, de acordo com os dados publicados pelo banco central.

Os números indicam que a taxa a que o BCS negociou o dólar era 3,70 por cento mais alta que a média dos bancos, de 596,871 kwanzas, situando-se em 5,91 por cento acima da mais competitiva, estabelecida em 584,418 kwanzas pelo Banco Kwanza Invest (BKI). Apontam, ainda, que a taxa a que o BCS negociou o euro representou mais 3,05 por cento que a média dos bancos e 5,91 que a mais baixa, à qual o Standard Chartered Bank Angola (SCBA) transaccionou a moeda europeia.

O Banco Yetu e o SCBA também negociaram, ontem, o dólar com a segunda e terceira taxas mais competitivas, com o câmbio situado em 585,481 e 586,045 kwanzas, respectivamente, as mesmas posições em que o BKI e o Millennium Atlântico (ATL) transaccionaram o euro, cotado a 660,335 e a 660,809 kwanzas.

Até ontem, as taxas de câmbio propostas pela banca comercial evidenciam uma ligeira apreciação do Kwanza face às duas principais divisas internacionais, confirmando a expectativa do abrandamento, este ano, das perdas da moeda angolana no mercado cambial.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia