Sociedade

Banco Mundial considera notável programa Kwenda

Edna Dala

Jornalista

O representante do Banco Mundial (BM) em Angola, Philippe Auffret, considerou “feito notável” os resultados alcançados pelo programa de protecção social Kwenda, que, ao longo do ano passado, garantiu mais de 300 mil transferências monetárias, com as mulheres a representarem 59,1 por cento dos titulares dos benefícios.

28/01/2022  Última atualização 07H25
Programa começa a afirmar-se como uma das referências no portfólio do Banco Mundial em África © Fotografia por: antónio soares | edições novembro
Philippe Auffret afirmou que o facto merece o reconhecimento da instituição e manifestou a satisfação "com o excelente desempenho e espírito inovador da equipa do Fundo de Apoio Social” e o "engajamento das autoridades políticas”.

"Ficou provado que é possível realizar em Angola, a larga escala, transferências directas de renda, utilizando metodologias rigorosas e internacionalmente aceites, no processo de cadastramento, validação e pagamentos”, disse, referindo que o "programa já começa a se afirmar como uma das referências no portfólio de projectos do Banco em África”.

Até ao momento, estão inscritos mais de 550 mil agregados familiares, o que permite ter uma base de dados com perto de dois milhões de pessoas. Em funcionamento, estão 12 Centros de Acção Social Integrado e perto de 17 mil beneficiários directos (e 84 mil indirectos) estão envolvidos em acções de inclusão produtiva.

Ao mesmo tempo em que reiterou a disponibilidade das equipas do Banco Mundial em continuar a colaborar com as autoridades angolanas e a do FAS no avanço das acções, Philippe Auffret afirmou que, "neste ano de 2022, surgem novos desafios decorrentes da necessidade de aprender com as experiências, ajustar o quadro de indicadores, gradual à expansão e avançar com passos para a institucionalização do programa”.

Philippe Auffret sublinhou ainda que, ao criar um Sistema de Participação e Gestão das Reclamações, no quadro das salvaguardas sociais e ambientais, o programa Kwenda promoveu um avanço importante para o engajamento dos cidadãos.

 Reconhecimento
da credibilidade

O director-geral do FAS, Belarmino Jelembi, disse que o reconhecimento do Banco Mundial tem uma dimensão de credibilidade para o programa. Em declarações à RNA, o responsável sublinhou que o FAS tem procurado, ao longo da implementação do programa, cumprir e introduzir metodologias internacionalmente aceites e reconhecidas.

"O reconhecimento é importante e significa que estamos no caminho certo”, disse, realçando que o programa superou os 300 mil agregados, inicialmente previstos para o ano passado, atingindo cerca de 502 mil cadastrados.

Belarmino Jelembi referiu que as transferências monetárias estão a contribuir, de modo paulatino, para aquecer a economia local, já que o dinheiro vai directamente aos "bolsos dos cidadãos”. Os municípios recebem em função do número da população e há casos em que recebem mais de 30 milhões de kwanzas numa só transferência.

"Isto é importante para a circulação monetária dentro destas localidades”, disse, para acrescentar que os beneficiários canalizam os recursos para as questões económicas e produtivas, como comprar sementes, preparar a terra, adquirir fertilizantes, entre outros.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade