Economia

Banco Millenium Atlântico ultrapassa 1,3 milhões de clientes

O presidente da Comissão Executiva do Banco Millenium Atlântico (BMA), Daniel Santos, durante a apresentação dos resultados de 2018, anunciou que a base de clientes ultrapassou a barreira dos 1,3 milhões, representando um crescimento de 20 por cento face ao período homólogo.

09/05/2019  Última atualização 09H31
Dr

Apesar do contexto macroeconómico adverso, o BMA realçou o forte crescimento do volume de negócios devido ao aumento do número de clientes e da prestação de serviços financeiros. Em 2018, a captação de depósitos cresceu 30 por cento, situando-se nos 1.043 mil milhões de kwanzas e o crédito a clientes cresceu 14 por cento, totalizando 499 mil milhões de kwanzas.
O crescimento do volume de negócios e do número de clientes, aliada a uma gestão mais eficiente dos recursos disponíveis, permitiu a melhoria dos resultados de 2018, que atingiram os 27 mil milhões de kwanzas, um crescimento de 14 por cento.
Para Daniel Santos, o desempenho registado em 2018 é traduzido, de igual modo, através do reforço significativo das imparidades de crédito, que permitiram o aumento do rácio de cobertura do crédito vencido para 164,1 por cento.
O banco concluiu o exercício económico de 2018 com uma facturação de 104 mil milhões de kwanzas, um crescimento de 25 por cento em relação 2017, sendo que os custos operacionais cresceram 12 por cento face ao ano anterior.
Por outro lado, o BMA tem disponível duas linhas de crédito - uma de 100 milhões de dólares e outra de 30 milhões de euros - para financiar o sector privado.
Os 100 milhões de dólares resultam de uma linha de financiamento da Corporação Financeira Internacional (IFC na sigla em inglês), uma instituição do Grupo Banco Mundial.
Dos 100 milhões de dólares, metade serão para financiar as pequenas e médias empresas até um valor máximo de cinco milhões de dólares por empresa. Os restantes 50 milhões vão apoiar a emissão de cartas de crédito.
Em relação aos 30 milhões de euros, serão aplicados no financiamento de projectos não especificados , disse Éder Sousa.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia