Economia

Banco de Poupança e Crédito notifica 512 devedores

Kamuanga Júlia | Saurimo

Jornalista

O Banco de Poupança e Crédito (BPC) notificou ontem, por aviso público, um total de 512 clientes, a fim de comparecerem nas respectivas dependências de domicílio nos próximos 10 dias úteis para tratar assuntos de interesse comum.

16/06/2020  Última atualização 11H57
Eduardo Pedro | Edições Novembro © Fotografia por: Gestão do banco público quer ganhar confiança dos clientes

Do total de clientes convocados por via de um anúncio, 326 são particulares e 186 empresas. A Direcção Regional Sul, na Huíla, com 301 clientes particulares notificados é a mais visada, seguida da Regional Este, em Saurimo, Lunda-Sul, com 95 empresas e 14 particulares. Na convocatória da Direcção de Marketing e Imagem estão ainda 35 empresas e 11 particulares da Direcção Regional Norte, em Malanje.

No início do ano, o BPC anunciou estar a organizar processos para recuperação do crédito malparado por via judicial depois de, em 2019, ter visto reembolsados 47 mil milhões de kwanzas, ou apenas 4,2 por cento da carteira de 1.118 mil milhões em dívida. Há dias, durante a apresentação dos resultados anuais de 2019 e perspectivas até 2022, o presidente do Conselho de Administração do BPC, António André Lopes, esclareceu aos jornalistas, que a prometida divulgação de nomes de devedores do banco está salvaguardada pela cláusula de sigilo bancário.

Contudo, as convocatórias anunciadas, repetidas vezes através das páginas do Jornal de Angola, visam exactamente cumprir este desiderato. Ainda assim, a recuperação do crédito malparado do banco é uma missão que a gestão do BPC diz ter em conta, apesar do alívio proporcionado com a transferência de 80 por cento do malparado à Recredit (950 mil milhões de kwanzas), ficando apenas com os restantes 20 por cento.

Só este mês, duas notícias de desvios em contas alheias de cerca de 600 milhões de kwanzas acenderam a luz laranja sobre a segurança do banco. O Conselho de Administração esclareceu serem os sistemas de alertas implantados, que têm garantido a detecção, em tempo útil, dos eventuais arrombos às contas de clientes.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia