Sociedade

Banco de Leite estendido ao Hospital Geral de Luanda

Edna Mussalo

Jornalista

O Hospital Geral de Luanda (HGL) tem, desde ontem, uma sala de colecta de leite materno, área que vai reforçar a distribuição do referido produto para recém-nascidos, serviço que só existia, até agora, na Maternidade Lucrécia Paim.

06/08/2022  Última atualização 07H20
Crianças nascidas de mães sem capacidade para amamentar têm possibilidades de estar livres de doenças infantis © Fotografia por: Contreiras Pipa | Edições Novembro

A coordenadora do Banco de Leite Humano (BLH), Elisa Gaspar, explicou que o recinto vai servir para acolher mulheres que  acorrem à unidade hospitalar para doar o produto, que, de seguida, deve ser analisado e processado a nível da Maternidade Lucrécia Paim.

Elisa Gaspar realçou que a sala do HGL tem condições para a colheita do leite em recipientes apropriados, para permitir que se leve o produto ao BLH da Maternidade Lucrécia Paim, onde será aprovado ou não o uso, com vista a voltar à primeira unidade e ser distribuído aos bebés ali internados e outros necessitados.

A médica anunciou que, depois do HGL, a coordenação do projecto pretende criar salas do género em outras unidades hospitalares do país, com vista a colmatar o défice de leite e a diminuir a mortalidade infantil.

A coordenadora explicou que as mulheres, antes de serem dadoras passam por um processo de exames, no sentido de avaliar as condições de saúde e a qualidade do leite, em respeito ao rigor exigido internacionalmente.

A responsável reiterou o apelo às mulheres para a adesão à nova sala de colecta, tendo assegurado que, para as que mulheres com dificuldades de transporte, o BLH dispõe de uma viatura usada para a busca do leite materno ao domicílio.

Para isto, essas mulheres dadoras de leite podem ligar para o terminal telefónico 933 333-667, usado para contacto com pessoal da recolha ao domicílio. 

 Ganhos para a província

A chefe do Departamento de Saúde Pública de Luanda, Catarina Uatanha, considerou a abertura da nova sala de colecta como um grande ganho para as crianças da província, por poderem contar com a doação do leite a partir do HGL.

Catarina Uatanha sublinhou a necessidade e a importância do leite no combate às doenças infantis, principalmente a malnutrição nas crianças. Por isso, apelou para uma maior consciencialização das mães sobre o aleitamento materno de forma directa ou de ordenha.

 Casos de malnutrição

O director do HGL, Bernabé Lemos, revelou que a desnutrição na população pediátrica tem estado a aumentar, factor que considerou preocupante.

Em função dessa situação, o responsável vê no projecto da criação de um centro terapêutico uma mais-valia, algo que pode dar um atendimento especializado aos bebés nessa condição.

Bernabé Lemos considerou, também, necessário a sensibilização das gestantes e mães a uma amamentação exclusiva dos bebés até aos seis meses, para a redução dos casos de malnutrição.

O responsável disse que contar com a abertura de um centro terapêutico, com 30 camas, onde as crianças poderão ter um atendimento especializado, é uma estratégia de louvar, porque ajuda a combater as doenças diarreicas e infecciosas.

Sobre a sala de colecta, referiu ser importante a sua abertura, por vir a contribuir para a amamentação dos bebés internados no hospital e facilitar a vida das mães impedidas de amamentar.

Bernabé Lemos apelou as mulheres a verem a unidade sanitária como um local onde podem ter os problemas de amamentação resolvidos ou minimizados, basta que se ajude com a doação de leite.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade