Economia

Banco de Investimento tem 14 mil milhões de kwanzas para projectos

O Banco Angolano de Investimento (BAI) tem disponíveis 14 mil milhões de kwanzas para financiar empresários do sector produtivo em todo o país, no quadro do Programa de Apoio ao Crédito (PAC) e dos avisos 4 e 7 do Banco Nacional de Angola (BNA), revelou, segunda-feira, em Menongue, o administrador para a área comercial da instituição financeira, José Castilho.

05/03/2020  Última atualização 16H09
Paulo Mulaza| Edições Novembro © Fotografia por: Empresários com projectos agrícolas têm garantidos fundos

Falando durante um seminário sobre as regras de adesão à linha de financiamento aos empresários do Cuando Cubango, José Castilho referiu que seis empresários do sector produtivo já beneficiaram da linha de financiamento do BAI no valor de 26 mil milhões de kwanzas.
“Dos 40 mil milhões de kwanzas que o BAI tinha disponíveis, desde o ano passado, para apoio à produção nacional, já foram desembolsados 26 mil milhões de kwanzas”, referiu o bancário, indicando que outros trinta processos estão em fase de avaliação. Esclareceu que o montante mínimo, a ser disponibilizado pelo BAI a cada empresário, é de 35 milhões de kwanzas.
A linha de financiamento resulta do memorando de implementação do programa rubricado entre o Ministério da Economia e Planeamento, Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), Fundo de Garantia de Crédito e oito bancos comerciais de direito angolano, entre eles o BAI.
José Castilho adiantou que ser cliente do BAI, ter domínio do negócio que pretende fazer, apresentação do curriculum dos gestores do projecto, estudo de viabilidade e uma garantia real (imóvel passível de hipoteca) são critérios para o acesso ao crédito.
Para atingir a “taxa de su-cesso” preconizada, o BAI, conta com a colaboração da empresa de consultoria Agro-
promotora, encarregue do acompanhamento técnico aos agricultores, antes e du-rante a vigência do crédito, reembolsável entre nove e 14 anos, com uma taxa de juros de 7,5 por cento.
Além do Cuando Cu- bango, o BAI já realizou seminários de esclarecimento sobre as regras de adesão à linha de financiamento nas províncias de Luanda, Cuanza-Sul, Benguela, Huambo e Namibe.

Centro de formação
Presente no encontro, o director do Gabinete de Desenvolvimento Económico Integrado do Cuando Cubango, Roberto Biwango, anunciou a criação, este ano, do “Centro integrado de formação de negócios e investimentos”, para acelerar o desenvolvimento socioeconómico da região.
“O Centro vai ajudar a direccionar o crescimento económico dos empresários, investimentos, produtores e comerciantes da província do Cuando Cubango”, sublinhou, acrescentando que o governo provincial vai trabalhar com o Banco Angolano de Investimentos, para a instalação de correspondentes bancários em todos os nove municípios.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia