Economia

Banco central considera mudança comportamental o principal desafio da cibersegurança

O administrador do banco central considerou esta sexta-feira (17) a mudança comportamental dos seus quadros como o grande desafio em termos da cibersegurança, já que em termos tecnológicos a instituição está preparada para minimizar efeitos de eventuais ataques.

17/06/2022  Última atualização 17H37
Banco Nacional de Angola © Fotografia por: DR
Segundo Pedro Castro e Silva, a cibersegurança é uma nova cultura, uma nova forma de estar dentro das organizações.

"Antes era comum ver funcionários nossos levantarem-se do posto e irem falar com o colega, fazer uma outra coisa qualquer no banco e não fechar a sessão ou pelo menos bloquear, portanto, deixar completamente aberta”, exemplificou o responsável, que hoje falou sobre "Perspetivas de Evolução Tecnológica do Banco Nacional de Angola" (BNA), no evento de apresentação da 13ª edição do estudo sobre as "Tendências Tech Trends 2022”, da Deloitte.

O administrador do BNA citou também casos de funcionários que, em encontros regionais ou internacionais, abriam o portátil para trabalhar ao lado de pessoas que não estavam ligadas ao banco ou até que nem conheciam.

"A questão comportamental, no nosso caso particular, tem sido aquela que, em nossa opinião, deve merecer maior atenção”, realçou.

Para Pedro Castro e Silva, o tema da cibersegurança "é presente, é premente” e vai estar sempre actual nas instituições.

Segundo o administrador, a Agência de Protecção de Dados está muito envolvida neste tema e a nível do sistema bancário, os bancos estão devidamente protegidos com a implementação de 'software' e com testes de penetração a serem feitos regularmente.

"Mas ter bons 'softwares', ter boas infraestruturas de combate ao cibercrime não garante que nunca vai acontecer. O que nós temos que ter é a garantia de saber como é que vamos reagir e como é que vamos agir para que sejam minimizados os efeitos de um potencial cibercrime”, disse.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia