Regiões

Bairros periféricos de Menongue há 43 anos sem energia eléctrica

Pelo menos 33 bairros que circundam a cidade de Menongue, capital da província do Cuando Cubango, estão sem energia, a cerca de 43 anos, por falta de transformadores, postes e cabos eléctricos para a expansão da rede de média e baixa tensão, sem os quais não se pode fazer as ligações domiciliares.

29/11/2019  Última atualização 07H29
Nicolau Vasco | Edições Novembro © Fotografia por: Direcção Provincial da Empresa de Distribuição de Energia à espera de verbas para a expansão da rede de baixa tensão

O director provincial da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE), Amândio Rodrigues, disse que em 2013, foi inaugurada uma central térmica de 10 megawatts e cinco anos depois entrou em funcionamento uma outra, denominada central térmica do Kwebe, com 50 megawatts.
No cômputo geral, a cidade de Menongue tem disponíveis 67,7 megawatts de energia eléctrica e o consumo actual oscila entre os 10,2 e 10,5, devido à fraca cobertura da rede de baixa tensão, que permite fazer as ligações domiciliares. A cidade de Menongue também não possui um parque industrial que possa absorver a energia produzida.
Amândio Rodrigues explicou que a ENDE controla a nível de Menongue 12 mil 400 clientes, que são atendidos apenas por uma das duas turbinas a gás e gasóleo, instaladas na central térmica do Kwebe, que periodicamente alterna com os restantes equipamentos, sobretudo em caso de avarias, que são muito frequentes.
Segundo Amândio Rodrigues, é importante que se façam no mínimo 25 mil novas ligações domiciliares, incluindo para pequenas e médias empresas, porque na maior parte das residências da cidade de Menongue, o consumo é diminuto, porque no seu interior existem apenas lâmpadas e uma arca ou uma geleira, situação que pode originar danos graves nos equipamentos, por trabalharem abaixo da sua capacidade.
“É necessária e urgente a expansão da rede de média e baixa tensão em todos os bairros periféricos da cidade de Menongue, sob pena de começarmos a registar, em pouco tempo, avarias na central térmica do Kwebe, onde o Executivo gastou mais de 69 milhões de dólares, para o aumento da capacidade de energia na capital do Cuando Cubango”, disse Amândio Rodrigues.
Amândio Rodrigues recordou que a antiga central térmica de Menongue, com capacidade de 10 megawatts, inaugurada em 2013, já não correspondia com a demanda do número de consumidores na capital da província do Cuando Cubango, razão pela qual foi construída uma outra central, com maior capacidade.
O director da ENDE informou que a instituição já apresentou ao Governo da província o plano de necessidades em termos de materiais, para a execução do projecto de expansão da rede de distribuição de energia eléctrica em todos os bairros periféricos de Menongue.
“Estamos a aguardar que o Governo da província possa disponibilizar nos próximos dias verbas para os Postos de Transformação, cabos eléctricos e postes, para darmos sequência à expansão do fornecimento de energia eléctrica nos bairros Cazenga, Saprinho, Agostinho Neto, Missão Católica, Kalupassa, Boa Vida, Kwenha, Boa Esperança, Benfica, Savipanda, Macueva, Zona Verde, Bié, Comboio, São José, entre outras circunscrições”, disse.
Amândio Rodrigues salientou que a ENDE está sem capacidade financeira para adquirir Postos de Transformação, cabos eléctricos e outros materiais, tendo em conta que está a sobreviver daquilo que produz e "isto não tem sido uma tarefa fácil, para dar resposta às necessidades ou preocupações das populações".
Fez saber que, desde a entrada em funcionamento da central do Kwebe, a ENDE apenas conseguiu efectuar cerca de duas mil ligações domiciliares, nos bairros Social da Juventude, Chiwaya, Novo e Paz. Actualmente, a central térmica do Kwebe fornece energia ao centro da cidade e aos bairros Azul, Cunha, Caimaneiro, 1º de Maio, Saúde, Pandera, Juventude, 4 de Abril, Popular, Castilho, Feira, Jubileu, Paz, Novo, 45 Casas, Tucuve, Hoje-ya-Henda, Tunga, Bom dia, Militar, Pió, Futungo e na zona adjacente ao Aeroporto Comandante Kwenha.
“Constitui uma grande necessidade expandirmos a rede de distribuição, para atingirmos o consumo de pelo menos 40 megawatts, para que a central térmica do Kwebe possa funcionar de forma razoável e sem risco de ficar danificada em pouco tempo”, referiu.

Clientes devem 450 milhões de kwanzas

Actualmente, a ENDE na província do Cuando Cubango, controla uma dívida na ordem dos 450 milhões de kwanzas, sendo 250 milhões contraídos por instituições públicas.
Amândio Rodrigues disse que a instituição está a efectuar cortes no fornecimento de energia eléctrica aos clientes devedores, com vista a recuperação da dívida, cujos valores poderiam servir para a compra de acessórios e manutenção de equipamentos.
Amândio Rodrigues recordou que os clientes que são alvo de corte de energia, além de pagarem a dívida que têm com a ENDE também são obrigados a pagar um valor de dez mil kwanzas, para voltar a beneficiar deste serviço.

Contadores pré-pagos
O director provincial da ENDE anunciou que está prevista, nos próximos dias, a instalação de 10 mil novos contadores pré-pagos em instituições públicas e privadas, assim como em residências a nível da cidade de Menongue e bairros periféricos. Informou que a ENDE já está a negociar com uma empresa que vai se encarregar da instalação dos contadores pré-pagos. Acrescentou que a ENDE também já formou dois técnicos que vão assegurar o funcionamento e manutenção dos contadores.
Amândio Rodrigues recordou que durante o ano passado, a ENDE procedeu a instalação de cerca de 200 contadores pré-pagos em instituições estatais e residências na cidade de Menongue e no bairro das 45 casas.

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões