Sociedade

Bairro da Mina sem serviços sociais básicos

Moradores do bairro da Boa Esperança da Mina, um campo que acolhe sinistrados das chuvas desta cidade, desde 2008, clamam pela instalação de alguns serviços sociais básicos, mormente um posto de saúde, escola, esquadra policial, abastecimento de água potável e energia eléctrica.

13/07/2019  Última atualização 08H33
Jaimagens

Situado a 12 quilómetros a nordeste da cidade, o bairro da “Mina”, como é vulgarmente conhecido, foi instalado a 28 de Junho de 2008, como consequência das chuvas que afectaram alguns bairros de Benguela (Capiandalo, Calomanga e Calomburaco) com um número inicial de 1085 sinistrados, acolhendo também, anos mais tarde, alguns angolanos retornados de países vizinhos.
Entre os retornados, cinco foram repatriados da República do Congo Democrático, dois da Zâmbia e três provenientes da Namíbia. Tendo em conta a realidade no terreno, o coordenador do bairro, Jaime Baptista, informou ontem à Angop que 445 pessoas retornaram, por meios próprios, à cidade de Benguela, incluindo os regressados dos países vizinhos, estando hoje o bairro constituído por 640 habitantes, maioritariamente dedicados à agricultura.
A Zona da Boa Esperança da Mina enfrenta, desde 2008, dificuldades básicas, pelo que solicitam às autoridades administrativas da província que visitem a localidade, para aferirem a realidade e encontrarem algumas soluções.
Falta de uma esquadra policial, numa zona sem luz, água tratada, serviços de saúde, Identificação Civil e escolas são as dificuldades apontadas pelo responsável.
O governador de Benguela, Rui Falcão, tem estado a resolver situações mais delicadas do que estas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade