Economia

BAD propõe gasoduto trans-saariano à Europa

O presidente do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) defende que a Europa deve olhar para África para reduzir a sua dependência do gás russo e considerou urgente construir o gasoduto trans-saariano para ligar os dois continentes.

29/05/2022  Última atualização 10H58
Presidente do BAD insiste na prevalência do gás africano © Fotografia por: DR

"A Europa na minha opinião devia olhar para África. A África tem imenso gás”, disse Akinwumi Adesina na sexta-feira ao final do dia, na conferência de imprensa de encerramento dos encontros anuais do Banco Africano de Desenvolvimento, que decorreram esta semana em Accra, Ghana.

O banqueiro respondia a uma pergunta dos jornalistas sobre a ironia de a Europa ponderar recorrer ao gás africano quando, em Novembro, na cimeira do clima de Glasgow, 39 países e agências de desenvolvimento prometeram parar o financiamento de projectos de combustíveis fósseis no exterior.

A decisão tem sido criticada pelos países africanos, que argumentam que o gás é o mais limpo dos combustíveis fósseis e tem um papel essencial na transição energética no continente.

Na resposta, Adesina lembrou que a União Europeia depende da Rússia em 45 por cento das suas importações de gás, o que mostra "a fraqueza da sobre-concentração do abastecimento de uma região em um país”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia