Economia

BAD garante financiamento de 1,2 milhões para parques

Joaquim Suami

Jornalista

O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) vai financiar 1,2 milhões de dólares, ainda neste ano, para dinamizar e reforçar o relançamento do projecto de parques industriais rurais, em dez províncias do país, no âmbito de um acordo de cooperação entre o Ministério da Economia e Planeamento e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), rubricado esta segunda feira, em Luanda.

24/05/2022  Última atualização 09H00
Projecto do Banco Africano visa a transformação da mandioca, frutas e cereais em farinha © Fotografia por: DR

O projecto, que conta com o apoio técnico do PNUD, vai ser implementado, numa primeira fase, nas províncias de Benguela, Malanje e Zaire e visa a transformação da mandioca, frutas e milho em farinha, com o objectivo de apoiar o Ministério do Comércio e Indústria a estabelecer uma plataforma de monitorização dos investimentos em todo o país, no quadro da política de diversificação económica.

O projecto, a ser financiado pelo Banco Africano de Desenvolvimento, deve fortalecer as acções do Instituto Industrial e Inovação Tecnológica de Angola (IDIIA) no reforço dos parques industriais rurais, para aceleração da economia nacional, bem como o reforço do quadro legal e a operacionalização dos parques industriais no país.

Igualmente, o projecto prevê reforçar as capacidades do sector da Agricultura, na realização de diagnósticos industriais, selecção de parques industriais prioritários e avaliação dos impactos económicos, sociais e ambientais da industrialização.

De acordo com o representante residente do PNUD em Angola, Edo Stork, o projecto de parques industriais rurais permite a dinamização da indústria transformadora no sector da Agricultura, para o crescimento da economia e para garantia de empregos no seio dos jovens angolanos.

"O continente africano está a mover-se em caminhos seguros, apesar dos grandes desafios que tem pela frente” e, por isso, é para o PNUD "importante que a África desenvolva as suas capacidades produtivas, para gerar riqueza e deixar de depender de outros continentes”, disse. Acrescentou que "Este projecto enquadra-se neste pensamento e, aliás, esses parques vão fortalecer a economia, a indústria transformadora, o emprego e o crescimento económico”.

Segundo o economista sénior do BAD em Angola, Cravo Túlio António, o projecto dos parques industriais rurais procura dar benefícios a um maior número de em-presas, para impulsionar a actividade agrícola e criar as melhores condições de funcionamento das indústrias transformadoras do país.

O Banco Africano de Desenvolvimento tem financiado vários projectos no país, com destaque para o sector da Agricultura, Desenvolvimento Rural e Ambiental, no âmbito da política da diversificação da economia de Angola, através da redução da dependência do petróleo.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia