Economia

Autoridades recuperam perto de 200 mil dólares do garimpo

Armando Sapalo | Dundo

Jornalista

Durante o ano que termina, as forças de defesa e segurança da Lunda-Norte recuperaram entre 150 e 200 mil dólares do garimpo de diamantes, de acordo com o delegado do Ministério do Interior e comandante provincial da Polícia Nacional da Lunda-Norte, comissário Alfredo Quintino “Nilo”.

31/12/2021  Última atualização 09H25
Operação conjunta das forças de defesa e segurança permite o desmantelamento de vários grupos de garimpeiros © Fotografia por: DR
Até à data, na província da Lunda-Norte, todas as casas ilegais de compra e venda de diamantes foram encerradas, desde o ano de 2018, no quadro das acções desenvolvidas pela "Operação Transparência”.


Alfredo Quintino "Nilo”, que abordou a situação operativa da Lunda-Norte, na  sequência de uma digressão que efectuou este mês aos dez municípios da província, com vista a criação de condições para o asseguramento da quadra festiva, afirmou que "todas as casas de compra e venda de diamantes, vulgarmente conhecidas por ‘Contuários’, funcionavam ilegalmente, sem licença para o exercício da referida actividade”.


O comissário afirmou que, além de financiarem a extracção e o tráfico ilícito de diamantes, os proprietários das  referidas casas são acusados de estarem envolvidos na promoção, auxílio e encobrimento da imigração clandestina, fenómeno que até hoje ameaça a soberania e a economia do país.


O comissário referiu ainda que uma operação conjunta das forças de defesa e segurança permitiu o desmantelamento de vários grupos de garimpeiros, compostos por cidadãos nacionais e estrangeiros em situação migratória ilegal, maioritariamente da República Democrática do Congo (RDC), que actuavam nas margens do rio Luembe, nas localidades do Luxilo e Cassanguidi, município de Cambulo.


Igualmente, numa actividade operativa pontual, realizada pelas autoridades do município de Lucapa, foram detidos garimpeiros que actuavam dentro da concessão da Sociedade Mineira do Calonda. As autoridades, conforme garantiu o comissário, têm noção que não obstante a "Operação Transparência” estar em curso, os garimpeiros retornaram às áreas de exploração.


Alfredo Quintino "Nilo” alertou para que as pessoas denunciem todas as casas que comercializarem diamante. "Neste momento, a Lunda-Norte não tem nenhuma casa de compra e venda de diamantes aberta, porque todas foram encerradas. Porém, se existir alguma, é ilegal e pedimos que as pessoas denunciem”, recomendou.


O comandante chamou também a atenção para o perigo de os cidadãos nacionais se envolverem no contrabando de combustível, pois, disse, a Polícia e outros órgãos estão atentos, com o combate a estar em curso agora a partir da fonte.


Recentemente, foram detectados mais de mil litros de combustível (gasóleo e gasolina), que estavam prestes a ser contrabandeados a partir do município do Chitato.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia