Cultura

Autoridades coloniais classificaram apenas 40 bens

Mário Cohen

Jornalista

Um conjunto de 40 monumentos ligados à herança colonial foram classificados, em todo o território nacional, pelas autoridades portuguesas, antes da Independência Nacional, no período de 1889 a 1975, revelou esta terça-feira, em Luanda, o director do Instituto Nacional do Património Cultural (INPC).

20/04/2022  Última atualização 11H15
© Fotografia por: DR

Emanuel Caboco, que dissertou na mesa-redonda subordinada ao tema "A Preservação do Património Cultural e Natural em Angola”, realizado no  Memorial António Agostinho Neto (MAAN), afirmou que, actualmente, a República de Angola tem classificados como bens culturais um total de 321 monumentos e sítios.

Segundo o director do INPC, esses conjuntos de monumentos e sítios precisam de ser inventariados e protegidos por todos, acrescentando que em 1990 havia um registo de 80 bens culturais classificados, numa lista muito representativa ao património ligada à herança colonial.

Em 2010, revelou, o número de patrimónios classificados foi elevado para 210 bens culturais. Emanuel Caboco disse que em 2010 já havia equilíbrio do ponto de vista de conservação e critérios de avaliações dos monumentos classificados pela Administração Colonial, em relação aos reconhecidos no período pós-independência.

No tempo colonial, avançou, os bens eram classificados pela antiguidade, com destaque para as fortalezas, palácios e igrejas, bens nos quais os critérios de avaliação tinha maior relevância.

Emanuel Caboco afirmou que Angola tem, na sua lista indicativa, três monumentos para a candidatura a Património da Humanidade da UNESCO. Trata-se do Corredor do Kwanza, das Pinturas de Artes Rupestre do Tchitundo Hulu e Cuito Kuanaval, local liga à Luta de Libertação de Angola.

 
Exposição de arte

À margem da mesa-redonda realizada para celebrar o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, os participantes e convidados efectuaram, ontem, no hall da MAAN, uma visita guiada à exposição individual do artista plástico Mendes Ribeiro.

Entre as obras patentes na exposição sobre Luanda destacam-se o Museu Nacional de Antropologia, o Palácio da Dona Ana Joaquina, o Observatório Meteorológico "Torre do Balão 1881”, a Calçada do Forte de São Miguel e Palácio de Ferro.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura