Regiões

Aumenta o vandalismo de bens públicos no Uíge

Valter gomes| Uíge

O índice de vandalização de instituições e bens públicas, como escolas e lojas de Registo Civil e Identificação, cabos eléctricos, postes de iluminação pública, bem como tubagens de água, aumentou nos últimos meses na província do Uíge.

23/11/2021  Última atualização 09H42
Campanha de sensibilização foi aberta na Igreja Baptista © Fotografia por: Filipe Botelho| Edições Novembro| Uíge
As acções são praticadas na calada da noite, por indivíduos não identificados, deixando algumas ruas às escuras e escolas sem condições para o processo de ensino e aprendizagem.

Os meliantes, nas ruas dos bairros e escolas onde passam, destroem e desmontam quase tudo de bom, como janelas, portas, carteiras, secretárias e electrodomésticos.

Face a essa situação, o Comando Provincial da Polícia promove, desde a semana finda, uma campanha de sensibilização da população, sobretudo jovens, no sentido de evitarem vandalizar bens públicos, sob pena de serem responsabilizados criminalmente.

O director do Gabinete Provincial de Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério do Interior (Minint), intendente de investigação Serafim dos Santos, que fez a abertura da campanha, na Igreja Convenção Baptista de Angola, informou aos fiéis que a Polícia Nacional no Uíge está preocupada com a situação e pede o apoio das autoridades religiosas e tradicionais na educação da juventude, para a conservação dos bens públicos colocados à disposição da população.


"Queremos que as igrejas intensifiquem as campanhas de moralização da sociedade, ajudando o governo na transmissão de valores positivos aos filhos, netos, sobrinhos, à juventude em geral, de modo que possam conservar as escolas, hospitais, sistemas de água, bem como outros equipamentos que visam o progresso da província e o bem estar da população”, disse.

O intendente lembrou que em vários pontos da cidade e municípios soam denúncias de furtos de cabos eléctricos, destruição de cabines de distribuição de energia eléctrica, tubagens de transporte de água potável, bens hospitalares, escolas e outros equipamentos sociais, protagonizados por indivíduos ainda não identificados.

O oficial superior sublinhou que só nos últimos três meses foram registados seis casos de vandalização de instituições públicas, nos municípios do Uíge, Sanza Pombo e Damba, que resultaram na detenção de igual número de cidadãos, presumíveis autores dos mesmos crimes, que causaram danos materiais avultados aos cofres do Estado.

Referiu que a apetência ao lucro fácil, a falta de consciencialização dos cidadãos sobre a necessidade da conservação dos serviços colocados à sua disposição, associada ao desconhecimento das leis que condenam tais práticas criminosas têm estado na base do cometimento dos ilícitos.

O intendente de investigação Serafim dos Santos apontou a publicidade das consequências dos crimes de vandalização e a criação de programas de educação cívica em coordenação com outras instituições sociais, como igrejas e escolas, bem como encontros com as autoridades tradicionais como outras estratégias que o Comando Provincial da Polícia está a desenvolver para mitigar práticas que não ajudam no progresso da região.

O secretário da Igreja Convenção Baptista de Angola no Uíge, Januário Carlos Victorino, agradeceu a iniciativo do Minint e assegurou que, como parceiros directos do Estado, vão desenvolver nas comunidades campanhas de sensibilização, para que, com os esforços da Polícia Nacional, autoridades tradicionais, famílias e a sociedade em geral sejam alcançados os objectivos preconizados.

"Todos almejamos viver num país desenvolvido, mas o desenvolvimento só é alcançado conservando o bem público e/ou privado, erguido na comunidade”, disse o pastor.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões