Sociedade

Aumenta capacidade de internamento no Hospital Municipal do Longonjo

Justino Victorino / Huambo

Jornalista

O Hospital Municipal do Longonjo, na província do Huambo, foi reabilitado e ampliado, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), visando a melhoria da assistência médica e medicamentosa à população.

24/09/2022  Última atualização 08H35
© Fotografia por: DR

A unidade sanitária tinha 19 camas e actualmente tem 38, segundo o director municipal da Saúde.

Cândido Cangombe disse ao Jornal de Angola que, diariamente, são atendidos, nos serviços de pediatria, medicina, nutrição, maternidade, laboratório de análises clínicas, cirurgia e ortopedia, 130 pacientes, provenientes das comunas de Catabola e Chilata. 

Deu a conhecer que 263 trabalhadores, entre médicos, técnicos, enfermeiros e pessoal administrativo, garantem o funcionamento do Hospital Municipal do Longonjo. "O quadro médico é constituído por onze especialistas de nacionalidade cubana, habilitados em Obstetrícia, Cirurgia Geral, Pediatria e Clínica Geral". 

Segundo Cândido Cangombe, a população já não tem necessidade de se deslocar à cidade do Huambo em busca de assistência médica. 

Mariana Capitango, paciente com problemas cardiovasculares, após ter sido assistida por uma equipa médica, disse sentir-se muito satisfeita pelo atendimento e por não ter gasto dinheiro com deslocações. "Antes, por qualquer coisa, era  preciso ir  ao Huambo, onde tínhamos de enfrentar muita enchente para sermos atendidos".  

 Mais serviços 

O director do Hospital Municipal do Longonjo assegurou que a unidade sanitária prevê instalar, nos próximos tempos, um consultório de Estomatologia, Raio X e reforçar os serviços de Ortopedia, para reduzir as transferências de doentes para o Hospital Geral  do Huambo. 

Acrescentou que, desde o início do Programa de Municipalização dos Serviços da Saúde, o sector progrediu de forma substancial em relação aos anos anteriores, especialmente nas consultas externas. 

Sem avançar dados, Cândido Cangombe sublinhou que, de 2018 a 2022, foi possível melhorar e aumentar a cobertura farmacêutica. 

O aumento de consultas e de partos e a aposta na formação e capacitação de agentes comunitários e parteiras tradicionais constituem ganhos para o sector, pois têm permitido reduzir a mortalidade materno-infantil, segundo Cândido Cangombe. 

Deu a conhecer que, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), foram reabilitados na municipalidade um centro materno-infantil, com capacidade para internar 18 doentes, estando em pleno funcionamento três postos de saúde. 

O administrador do Centro Materno-Infantil, Abel Ernesto Chilanda, disse que, durante o primeiro semestre do presente ano, foram feitos 192 partos, oito dos quais terminaram em óbitos, devido à hemorragias, rupturas uterinas e chegada tardia à unidade sanitária. 

As patologias mais frequentes, apontou, são a malária, doenças infecciosas e de transmissão sexual. 

 "Estamos satisfeitos pelo facto de se notar que existe um crescente interesse de mulheres em consultas pré-natais”,  sublinhou Abel Ernesto Chilanda, que aconselha as gestantes a procurarem sempre os serviços médicos, para um melhor acompanhamento da evolução da gravidez e protegerem a sua vida e do bebé.     

 Casos de malária  

O Hospital do Longonjo diagnosticou, de Janeiro a Junho desde ano, 43 mil casos de malária, dos quais oito resultaram em óbitos. 

O director municipal da Saúde disse que, para diminuir o número de casos de malária, equipas de luta anti-larval e vectorial estão mobilizadas. 

Cândido Cangombe apelou à população no sentido de não criar charcos de água junto das residências, bem como evitar a concentração de grandes focos de lixo. 

 Fez saber que a malária ainda é um problema de saúde pública, não somente na província do Huambo, afectando, sobretudo, crianças dos zero aos 15 anos. 

No âmbito do Programa de Combate à Malária, recordou, o sector da Saúde, com  o apoio de parceiros sociais, leva a cabo actividades de sensibilização sobre métodos de prevenção da doença. 

 Formação de quadros  

O director municipal da Saúde reiterou a aposta forte na formação de quadros, para distintas áreas, na Escola de Formação Técnica de Saúde, com o convénio de especialistas competentes, que têm como missão transmitir conhecimentos teóricos e práticos aos profissionais, visando a  melhoria da assistência médica e medicamentosa à população.

"O potencial humano deve acompanhar o crescimento da população, daí a aposta do Governo Provincial  na formação de especialistas na área da Saúde, para o engrandecimento do país, em particular desta municipalidade”, concluiu o director da Saúde, Cândido Cangombe.       

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade