Cultura

Atelier D’Artes Lucengomono leva à cena “Versos Diversos”

Analtino Santos

Jornalista

O Atelier D’Artes Lucengomono leva à cena, amanhã, a partir das 19h00, no Elinga Teatro, em Luanda, o espectáculo de teatro “Versos Diversos”, inserido no programa da sétima edição do Circuito Internacional de Teatro (CIT), que este ano homenageia o centenário de Agostinho Neto, que se comemora a 17 deste mês.

09/09/2022  Última atualização 07H20
A exibição da peça de teatro “Versos Diversos” está inserida na programação © Fotografia por: DR

O espectáculo de teatro "Versos Diversos” é uma adaptação cénica de um  texto de Francisco Makiesse, com cenografia de Thó Simões e música de Emanuel Mendes, Carlos Praia e Max de Jesus.

"Versos Diversos” é um espectáculo que une textos de distintos autores de diferentes épocas da poesia angolana, com maior destaque para a obra poética completa de António Agostinho Neto (Sagrada Esperança, Renúncia Impossível e Amanhecer), mostrando quase um andamento onírico, que prende o espectador sobre as mãos. A obra proporciona uma viagem no seu assento, um lugar bíblico entre a realidade e a imaginação, cruzando-se na poesia de Rogério de Carvalho, onde são apontadas todas as ideias para apresentar e reflectir sobre a vida e sobre Angola, intitulado "Versos Diversos”.

Dos temas, destaque para o valor humano, a educação e a mentalidade, a vida e a morte, a filosofia, a literatura, a arte, o teatro, a música, o amor e a sexualidade, a pedofilia, o desespero, a Igreja e a fé, a opressão, a crise e a miséria.

Uma metáfora cujos olhos e corpos são dados pela Melvi Lumbungulu, Adelino Adão, Otília Adriano, Aureliano Quaresma, Carlos Praia, Emanuel Mendes e Max de Jesus, que se tornam quase um Roberto Benigni.

Segundo o autor, "Versos Diversos” é uma dor do fundo, filtrada numa visão irônica da mesma existência. E no fim, nasce um modelo de teatro anti-convencional, em que a única coisa que conta é o triunfo dos grandes sentimentos e o ritmo enceradíssimo.

 Manguxiandu

As actividades do Atelier D’Artes Lucengomono, alusivas ao centenário do primeiro Presidente de Angola, tiveram início com a realização em Catete, da II edição do Festival Manguxiandu, de 9 a 13 de Agosto último, e reserva ainda para o dia 14 de Outubro, a realização do concerto "Omele” de Melvi Lumbungululo, e no dia 27 de Outubro, o espectáculo do Trio 18 Cordas, ambos em local e hora a indicar.

Francisco Makiesse do Atelier D’Artes Lucengomono reiterou que as actividades são complementares da II edição do Festival Internacional "Manguxiandu: Katete Terra das Artes, da Promessa e da Liberdade” que decorreu de 9 a 11 de Agosto, em parceria com a Fundação Dr. António Agostinho Neto, inserido nos festejos do centenário do seu patrono.

O evento uniu duas datas importantes para celebrar duas figuras patrióticas, nomeadamente os 96 anos de Fidel e 100 anos de Agostinho Neto, celebrados com diversas modalidades artístico-culturais.

O festival teve dois momentos particulares: A apresentação do espectáculo "O fim do Humanismo”, pelo grupo de estudantes do CEARTE e a projecção do Vídeo-teatro "Sem título” do Atelier D’Artes Lucengomono.

Durante os três dias de festival foram realizadas várias actividades com destaque para a deposição de uma coroa de flores pela Presidente da Fundação Dr. António Agostinho Neto, Maria Eugenia Neto, e pela Embaixadora de Cuba em Angola, Esther Armenteros, ambas acompanhadas por Humberta Paixão, administradora municipal de Icolo e Bengo, e pela guarda de honra do Comando da Polícia Nacional do Icolo e Bengo.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura