Política

Assembleia Nacional com 50 observadores internacionais

Edna Dala

Jornalista

A Assembleia Nacional vai contar com 50 observadores internacionais para acompanhar o pleito eleitoral de 24 de Agosto, divididos por vários países, com destaque para os Estados-membros da SADC, CPLP e da Organização dos Estados Americanos.

05/08/2022  Última atualização 08H41
Comissão ad-hoc organiza participação dos observadores de instituições como a CPLP © Fotografia por: DR
A informação foi confirmada, ontem, pelo porta-voz da Comissão Ad -hoc, José Lopes Semedo,  criada, recentemente, no âmbito das Eleições Gerais de 24 deste mês, pelo presidente da Assembleia Nacional,  Fernando Dias dos Santos.

No final do encontro, que serviu para apresentação dos membros da referida comissão, o deputado José Semedo adiantou que na próxima semana chega já o primeiro grupo de observadores provenientes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

O convite aos representantes das organizações acima mencionadas, frisou, resulta de uma reunião dos presidentes dos grupos parlamentares, com base no princípio da proporcionalidade. Os observadores internacionais, reforçou, vão acompanhar e verificar a transparência, credibilidade interna e internacional, bem como a "justeza” do processo eleitoral.

Na primeira reunião, que teve lugar ontem, a Comissão aprovou uma série de documentos relacionados com a distribuição de tarefas aos grupos de observadores.

O porta-voz sublinhou que a Comissão não tem grande intervenção no processo eleitoral. "Temos que acompanhar os observadores internacionais que visitam o país, no sentido de prestarmos todo o apoio necessário para a boa execução do seu trabalho”, disse.

De recordar que a  Comissão técnica é integrada por sete deputados de todos os partidos políticos com assento parlamentar e foi criada por despacho do presidente da Assembleia Nacional, Fernando da Piedade, com base na Lei Eleitoral, no sentido de se convidar os representantes de organizações e partidos estrangeiros a acompanharem o processo eleitoral.

Os observadores vão permanecer no país até à divulgação dos resultados finais das Eleições Gerais.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política