Opinião

As refinarias e os empregos garantidos

Editorial

Quando o Presidente João Lourenço admitiu, no Huambo, a descida do preço dos combustíveis, foi claro ao apontar as razões e avançou que este pode descer, proximamente, devido ao aumento da oferta de produtos refinados.

23/06/2022  Última atualização 07H15

 "Felizmente, tivemos a visão de não nos contentarmos em ser apenas um grande produtor de petróleo em bruto”, disse.

Segundo o Presidente da República, "gabávamo-nos de sermos um grande produtor de petróleo, mas éramos também um grande importador de derivados de petróleo, uma situação que estava muito errada”. Estava lançado o desafio. O caminho era partir para o desenvolvimento das refinarias no país.

Embora não esteja ainda resolvido o problema da Refinaria do Lobito, João Lourenço, disse que se criaram condições para que o sector privado invista em refinarias mais pequenas, acrescentando que ainda, este ano, Cabinda teria a sua refinaria. Foi nota de destaque o lançamento da primeira pedra da Refinaria do Soyo, que se espera venha a produzir 160 mil barris/dia nas duas refinarias, em 2025. Ficou-se a saber que a de Luanda vai passar a produzir quatro vezes mais gasolina, um aumento de oferta que pode significar uma descida dos preços ainda este ano.

Hoje, é visível a forma como se passa da intenção à prática. É o momento da concretização dos desafios assumidos. E a boa nova, veio de Cabinda onde começaram a chegar os equipamentos que vão permitir o início de produção da primeira fase da Refinaria de Cabinda.

Fabricados em Houston, Estados Unidos da América, antes de serem transportados para Cabinda (Angola), foram submetidos a um teste de aceitação, para aferir a sua operacionalidade.

Soube-se que a refinaria, brevemente, começa a ser montada e que o resto do material complementar do projecto deverá chegar, em princípio, em Agosto, altura em que se irá completar todo o trabalho da primeira fase para se dar o início da produção e que vai processar cerca de trinta mil barris de petróleo por dia, quantidades que irão aumentar para sessenta mil barris por dia, com a conclusão da segunda fase do projecto.

Sem dúvida, que todo este esforço representa um valor significativo e uma forma diferente de pensar e direccionar a nossa economia. Por outro, além destes ganhos que nos vão ajudar a poupar divisas e passar a ganhá-las, diga-se, abrem-se oportunidades de negócios para a juventude que encontra novas e seguras oportunidades de emprego.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Opinião