Opinião

As feiras, os negócios e as empresas

Têm-se realizado periodicamente feiras no nosso país em que empresas angolanas e estrangeiras exibem os seus produtos e dão a conhecer os serviços que podem prestar a potenciais clientes.

31/05/2019  Última atualização 07H53

Sabe-se que o empresário, que gosta de correr riscos, investindo na produção de bens e serviços, espera naturalmente por retornos dos capitais que aplica nos seus negócios.
Os agentes económicos aproveitam as feiras para promover os seus produtos, na perspectiva de poderem fazer muitos negócios, uma vez que estes se podem traduzir na produção de muitos bens e serviços de que os consumidores necessitam.
A economia vive e cresce com empresas de diferentes dimensões, e que tenham uma actividade produtiva regular. Estamos numa fase em que se está a trabalhar para a superação da crise económica e financeira, que levou muitas empresas à falência.
É hora de os agentes económicos aproveitarem as oportunidades de negócios para enveredarem por actividades produtivas que possam ser geradoras de ganhos para si e para os cidadãos.
A economia, quando cresce, beneficia a todos, empresas e famílias. O Estado deve, em situações de crise, criar os incentivos necessários para que as empresas possam relançar a actividade produtiva. Se as empresas não produzirem não haverá empregos.
Temos hoje uma elevada taxa de desemprego no país, pelo que é urgente que se pensem e executem políticas que criem condições para que as empresas produzam e que tenham a possibilidade de fazer chegar ao mercado o que produzem, em grande quantidade e com qualidade.
As feiras são locais de exposição de produtos de muitas empresas, mas o que estas produzem devem chegar a muitos consumidores, a preços suportáveis.
Há em Angola empresários que querem alargar os seus negócios, mas é necessário que se trabalhe, por exemplo, na construção ou reabilitação de infra-estruturas rodoviárias e ferroviárias, para que haja uma distribuição célere de diversos produtos por várias partes do território nacional. O empresário é geralmente ousado, e quer sempre retirar muitos lucros da sua actividade produtiva. Quando o empresário cresce em termos de rentabilidade, ele investe mais e o investimento pode resultar em mais empregos.
Há muitos jovens desempregados no nosso país e uma das vias para se reduzir o desemprego é termos no país empresas sólidas. Que tudo se faça para se criarem condições para que as empresas que foram à falência voltem a funcionar. É a actividade produtiva das empresas que pode contribuir grandemente para o crescimento da economia, que é necessário para melhorar as nossas condições de vida.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Opinião