Opinião

As empresas e a agricultura

Criaram-se muitas empresas no país ao longo  de vários anos, sobretudo a partir  do momento em que  entramos na  economia de mercado, tendo muitos angolanosvenveredado por  actividades produtivas.

05/11/2018  Última atualização 07H25

Hoje temos no país muitos empresários, mas  uma  parte considerável deles não  tem a possibilidade  de realizar actividade produtiva  por falta de dinheiro. Fala-se hoje na valorização das micro, pequenas e médias empresas, e  espera-se que o Governo venha  a  criar incentivos  para essas  unidades produtivas para que  a economia possa contar  com um elevado  número de  agentes económicos.
É importante que os agentes económicos tenham   actividade produtiva diversificada para que possam  fornecer  variados  serviços e  bens  com boa qualidade e em grande quantidade. Os consumidores  precisam de adquirir  muitos bens e  serviços a baixos preços. Havendo muitos agentes económicos no mercado, haverá  maior concorrência, o que pode  gerar  mais qualidade na produção de bens e serviçosQue em 2019  se  preste  maior atenção às unidades produtivas que,  com poucos recursos, podem  realizar  actividades produtivas. Que se deixe de pensar que o país  só  vai resolver os seus problemas com  empreendimentos de  grande dimensão. Temos no país muitos milhares de desempregados, sobretudo jovens,  que procuram emprego  e  que estão dispostos a  enveredar por actividades produtivas.
Dando-se oportunidade a estes jovens, muitos deles com cursos médios  e superiores,    criarem micro, pequenas ou médias empresas, teremos  daqui a alguns anos  muitas unidades produtivas espalhadas por todo o país. É preciso que se acredite na juventude, em particular naqueles cidadãos que são capazes de concretizar  projectos produtivos.
O ideal é que  haja  muitas empresas no nosso vasto país. Sem empresas a nossa  economia  não vai crescer. Não  podemos continuar a viver apenas da economia petrolífera  e diamantífera. O país precisa  de apostar noutras áreas produtivas, como a agricultura  e as pescas.
O agro-negócio é um sector que pode dar certo no nosso país e que pode contribuir para o combate à  pobreza. Há em Angola muitos  empresários com  larga experiência ao nível da  actividade agrícola.  Era bom que se apoiassem  empresários com conhecimento  sobre  a agricultura  e que podem ajudar a economia a crescer. O investimento na agricultura   num país como o nosso , que  tem terras  férteis,  pode  ajudar a  tirar da pobreza muitas famílias  angolanas  que vivem  no meio rural  e não só.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Opinião