Economia

Arrecadação fiscal cresce mais 7,0% em seis meses

Manuel Fontoura | Ndalatando

Jornalista

A arrecadação fiscal do Cuanza-Norte registou um crescimento de 7,2 por cento no primeiro semestre, para 2.900.678.792 kwanzas, diante dos 2.704.048.556 do mesmo período do ano passado, de acordo com relatório da Delegação Provincial de Finanças.

29/07/2022  Última atualização 08H15
Colecta sobe mercê da retoma de actividade económica © Fotografia por: Edições Novembro

O documento, consultado, ontem, pelo Jornal de Angola, atribui o crescimento das receitas fiscais à retoma da actividade económica, bem como ao pagamento de impostos sobre os recebimentos de alguns fornecedores de bens e prestadores de serviço ao Estado.

Entre as receitas com maior volume, destacam-se o imposto sobre o Rendimento, com 1.222.986.619 kwanzas, IVA (852.428.067), de Lucro sobre as Actividades Económicas  (463.490.604), das Actividades Económicas (134.342.783), de Consumo (46.392.855), de Selo (39.766.711), sobre Diversos Serviços (22.626.173) e Receitas de Diversos Avaliados  (230.695.426).

No mesmo período, o IVA em sede do Regime Geral  foi estimado em 495.702.783 kwanzas, em que 341.951.834 kwanzas dizem respeito ao Cativo e 173.381 a outros tipos de IVA.

A repartição fiscal que mais arrecadou é a de Ndalatando (Cazengo), com 2.047.139.682 kwanzas (70,57 por cento do total), seguindo-se a do Dondo (Cambambe), com 466.449.371 (16,08 por cento), e a de Camabatela (Ambaca), com 387.089.739 (13,34 por cento).

A Delegação de Finanças considera animadora a cifra colectada no semestre em análise, considerando que reflecte o trabalho desenvolvido para alargar a base tributária.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia