Política

Arranca recadastramento dos antigos combatentes

Carlos Paulino | Menongue

Jornalista

O processo de recadastramento e prova de vida dos antigos combatentes e veteranos da Pátria na província do Cuando Cubango arrancou, ontem, na cidade de Menongue, em acto presidido pelo secretário de Estado para a Defesa Nacional, almirante José Maria de Lima. Com duração de 22 dias, o processo prevê o recadastramento de 10.618 associados que constam da planilha do Ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria e 4.037 que foram desactivados do sistema de pagamento de pensões, desde Abril de 2019.

03/08/2021  Última atualização 09H50
© Fotografia por: DR
Para o êxito da actividade, foram mobilizadas 12 brigadas, compostas por cinco técnicos dos Ministérios da Defesa Nacional e das Finanças, bem como dois helicópteros da Força Aérea Nacional e três viaturas de marca Land-Cruiser HZ-1.


O secretário de Estado  garantiu que "estão reunidas todas as condições humanas, materiais e técnicas para que o processo decorra sem qualquer sobressalto, nos nove municípios do Cuando Cubango". Sublinhou haver um nível de preparação bastante aceitável para que se possa colocar um fim no sistema de organização de todos os assistidos no país e em particular no Cuando Cubango.

 O almirante José Maria de Lima recordou que o processo de recadastramento e prova de vida, desde o início de 2020, devido à pandemia da Covid-19, reiniciou no dia 10 de Maio deste ano, na província do Bengo.

 Segundo José Maria de Lima, o processo de recadastramento e prova de vida vai permitir dar um nível de vida que possa corresponder com o sacrifício consentido pelos antigos combatentes.

O director nacional dos Antigos Combatentes, Casimiro José Vata, disse que o processo de recadastramento e prova de vida já abrangeu 17 províncias, faltando apenas Luanda.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política