Economia

Área cultivada cresceu para cinco mil hectares

Camponeses do município da Matala, Huíla, preparam cerca de cinco mil hectares, mais mil em relação ao ano passado, para o cultivo de hortícolas na segunda época da campanha agrícola, que inicia este mês, segundo o director municipal da Agricultura e Florestas.

17/03/2020  Última atualização 14H14
© Fotografia por: Agricultura na Matala é beneficiada pela abundância de água

Pedro Conde disse à Angop que os agricultores têm apoio de uma brigada de mecanização, com oito tractores e respectivas alfaias, bem como algumas máquina e charruas de tracção animal, prevendo-se, até Julho, uma colheita de 44 mil toneladas de produtos como tomate, cebola, couve, repolho, cenoura e pimenta.
Explicou que grande parte da produção de hortícolas é feita por sete cooperativas agrícolas no Perímetro Irrigado da Matala, mas com “enormes dificuldades”, por falta de manutenção dos equipamentos, debilidades no fornecimento de energia eléctrica e água no canal de irrigação.

Boa colheita

Mais de 500 toneladas de arroz foram, até a semana passada, colhidas na fazenda de capital chinês Leijunca, implantada no Perímetro Irrigado da Matala, província da Huíla, informou, ontem, o proprietário, Xu Liang. Em declarações à Angop, o empresário chinês disse que, este ano, houve um aumento de 200 toneladas de arroz em relação ao ano passado, o que considerou ser importante para o objectivo do investimento da fazenda, que é aumentar a produção a cada ano.
Xu Liang declarou que o arroz cultivado tem qualida-de, estando em curso as operações de descasque que dão lugar à comercialização, projectada com base no preço do saco de 25 quilos a 12 mil kwanzas. O gestor disse que, para além do cultivo de arroz, há a aposta na produção de feijão num espaço de 15 hectares e de batata-rena em 20 hectares, em operações destinadas a diversificar a oferta e satisfazer as necessidades alimentares da região e do país de forma geral. O projecto, implantado em 2016, vai atingir as três mil toneladas de arroz por ano a partir de 2022, anunciou Xu Liang.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia