Cultura

Apreciadores de artes plásticas avaliam a cultura portuguesa

Maria Hengo

Jornalista

A exposição dos alunos da Escola Portuguesa de Luanda, feita em alusão aos 500 anos do poeta Luís Vaz de Camões, considerado uma das maiores figuras da literatura lusófona, reuniu, na quarta-feira, no Camões - Centro Cultural Português, vários apreciadores das artes plásticas.

08/06/2024  Última atualização 12H45
Estudantes da Escola Portuguesa de Luanda mostram criatividade artística em exibição de arte © Fotografia por: fotos Luís Damião | edições novembro

O objectivo da mostra, segundo a organização, foi ver e reviver de perto a cultura portuguesa, através de alunos da iniciação à nona classe. A exposição de pintura, que reúne obras produzidas por mais de mil alunos durante o ano lectivo nas disciplinas de Educação Visual, Educação Tecnológica e Artes Visuais, ficará patente até 30 deste mês.

Os quadros podem ser vistos de segunda a quinta-feira, das 9h00 às 17h00, e na sexta-feira, das 9h00 às 13h00. Das cem obras destacam-se "O tempo acaba o ano, o mês e a hora”, "Adamastor”, "As ninfas”,”Inovação das tágides”, "O amor é o fogo que arde sem se ver”, "Luís de Camões e a salvação do seu livro”, "A tempestade”, "O mar revolto”,”Adamastor e as Caravelas”, "O salvamento da obra”, "Caravela em alto mar”, "Ilha dos amores”, "Tempestade”, entre outros.

Matilde Plácido explicou que a sua obra "As despedidas de Belém”, simboliza não só as despedidas, mas também o quanto as pessoas sentiram quando se despediram dos seus entes queridos.

A obra, feita há três semanas, disse, foi feita de papel sobre tela, esponjas para desenhar o céu e pincéis para desenhar o mar. "Prefiro representar os meus sentimentos sobre a tela”.

Já a curadora, Cecília Martins, explicou que o processo de selecção das obras foi difícil, por causa do tema e o número de obras expostas.

"Não podemos expor numa galeria mais de cem mil obras, mas temos mais que são um conjunto do pré-escolar, do primeiro ao nono ano, que formam no total dois mil alunos, por isso é que teve que se fazer uma selecção cautelosa”, reforçou.

Quanto ao significado da exposição, a curadora há 13 anos disse que espelham um pouco o percurso de Camões, e sua obra, "Os Lusíadas”. Esta exposição, disse, vem saudar, igualmente, o mês de Julho, da mulher, e sobretudo saudar Luanda, porque a Escola Portuguesa é em Luanda, e mostrar ao povo luandense as obras dos alunos portugueses, e a arte que se pratica e se produz  na Escola Portuguesa.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura