Política

APN apresenta candidatura ao Tribunal Constitucional

Garrido Fragoso

A Aliança Patriótica Nacional (APN) entregou segunda-feira, em Luanda, ao Tribunal Constitucional (TC) trinta e uma pastas contendo 17 800 assinaturas, que a habilita a concorrer às quintas eleições gerais, convocadas para 24 de Agosto próximo.

21/06/2022  Última atualização 08H17
Mandatário da campanha da APN entregou, ontem, as pastas da formalização da candidatura © Fotografia por: João Gomes | EDIÇÕES NOVEMBRO

A cerimónia de entrega das assinaturas decorreu nas instalações do Tribunal Constitucional e foi testemunha-da pela vice-presidente da Aliança Patriótica Nacional, Ana da Gama.

Em declarações à imprensa, o mandatário da campanha da APN, Tiago Soares, confirmou que nestas eleições o actual líder do partido, Quintino António Moreira, é o cabeça-de-lista concorrente ao cargo de Presidente da República.

"A APN entra nestas eleições para vencer ou, pelo menos, almejar ser a segunda força política do país", declarou Tiago Soares, para quem o partido está "mais forte, firme e bem preparado" para o pleito, com um programa eleitoral que se revê com os angolanos.

O político lembrou que a APN concorreu nos pleitos eleitorais de 2008, 2012 e 2017, salientando que os resultados eleitorais neste último (0,5 por cento dos votos) colocou o partido na posição de extra-parlamentar.

Tiago Soares referiu que o deputado independente David Mendes não consta da lista de deputados da APN à Assembleia Nacional e advertiu os detractores para deixarem de difundir mensagens com o fim único de descredibilizar o partido.

"Estas calúnias fazem-nos todos os dias lutar para que atinjamos os nossos objectivos", afirmou, reiterando que a APN congrega todos os angolanos, sem excepção, e trabalha, de forma afincada, para acabar com a prostituição.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política