Economia

Apicultores no Mussende precisam de incentivos

Os produtores de mel, no município do Mussende, província do Cuanza-Sul, carecem de equipamentos, para melhor exercerem a actividade da apicultura, no quadro da sua expansão e geração de rendimentos, disse ao Jornal de Angola o director municipal da Agricultura e Florestas, Avelino Simba.

08/01/2022  Última atualização 09H55
A extracção de mel no Mussende é feita de forma tradicional e carece de equipamentos © Fotografia por: CASIMIRO JOSÉ | EDIÇÕES NOVEMBRO
De acordo com o responsável municipal da Agricultura e Florestas, por falta de colmeias industriais, luvas e equipamentos de protecção, a actividade é exercida de forma rudimentar, situação que condiciona os seus praticantes a atingirem níveis de produção satisfatórios.

"Temos, no município, um total de 71 apicultores, mas, por falta de equipamentos e colmeias industriais, estamos longe de atingir níveis à altura das potencialidades da região”, frisou.

Avelino Simba considerou que a extracção de mel na região é uma actividade que proporciona rentabilidade aos apicultores, estando a direcção municipal da Agricultura e Florestas a proceder ao cadastramento de todos que se dedicam à apicultura, por forma a se agruparem em associações e cooperativas.

"Além dos 71 apicultores que exercem a actividade, estamos a prosseguir com o cadastramento dos demais e, de seguida, formalizarmos a constituição de associações e cooperativas, para obterem financiamentos”, disse.

Avelino Simba mostrou-se preocupado com o atraso que se verifica na concretização de um programa gizado, para potenciar a produção do mel, cujo silêncio das estruturas ligadas à actividade concorre para a fraca produção de mel na região.

"Por cá, passaram muitos empresários que se comprometeram em apoiar a produção de mel, que passa pela constituição de associações e cooperativas, bem como no apoio com equipamentos. Contudo, pouco ou nada de concreto se verifica e nos leva em crer que tudo esteja na base do estado crítico das estradas que dão acesso aos locais de produção”, sublinhou.

Avelino Simba reconheceu o empenho dos que exercem a apicultura, mas, salientou que, sem apoios, não é possível alcançar-se resultados desejados. Por isso, lançou um apelo, no sentido de os empresários locais, estrangeiros e nacionais, e as estruturas centrais do Estado, no sentido de gizarem programas de fomento da apicultura na região do Mussende.

Com uma superfície de 9.548 quilómetros quadrados, Mussende possui uma população estimada em 84.540 habitantes que maioritariamente vivem da actividade agrícola, criação de gado, pesca e conta com imensas florestas propícias para a apicultura.


Casimiro José | Mussende

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia