Reportagem

Antiga basquetebolista quer descobrir novos talentos

Arão Martins | Lubango

Jornalista

Homenageada no evento “Angola 40 anos” pelo seu contributo no desenvolvimento da modalidade na província da Huíla, e não só, Agnes Alfredo almeja criar uma escola de basquetebol para descoberta de novos talentos, caso haja apoios para compra de material desportivo (camisolas, bolas e outros).

06/11/2022  Última atualização 17H18
Agnes Loecácia Fragata Alfredo, professora de Língua Portuguesa e de Educação Física do ensino secundário © Fotografia por: Arão Martins | Edições Novembro – Huíla

Além da Língua Portuguesa, Agnes Alfredo lecciona, também, a disciplina de Educação Física e coleciona no seu currículo os cursos de Estatística Informatizada, Liderança para Gestores Desportivos, Educação Física Partilhada, Métodos de Planificação Desportiva, entre outros.

Como jogadora foi treinada pelo professor Henriques Albano e participou nos campeonatos provinciais pelos clubes Desportivo da TAAG, Dínamos Futebol do Lubango, Grupo Desportivo da N´gola e Laurentino Abel Martins (LAM). Nos escalões de cadetes, juvenis e juniores os seus opositores eram o Desportivo da Chela, Ferroviário, Futebol Clube do Lubango (FCL), Dínamo Futebol do Lubango e Ferroviário da Huíla.

Agnes Alfredo recorda com nostalgia o sucesso na modalidade.  "Fui homenageada no Angola 40 anos e as recordações que tenho são do tempo em que tínhamos os provinciais e, seguidamente, o nacional, que proporcionava uma interacção positiva entre amigas que residiam nas diversas províncias”.

Actualmente, está dedicada ao dirigismo desportivo, onde ocupa o cargo de secretária-geral da Associação Provincial de Basquetebol da Huíla, função que desempenha com zelo e dedicação.

Conhecida como atleta aguerrida, dinâmica, boa lançadora dos dois pontos e na posição de poste-baixo, Agnes Alfredo ganhou muitos campeonatos provinciais nos escalões acima referidos, onde era nomeada melhor marcadora ou melhor jogadora.

Lembrou que naquele tempo, nos pavilhões das altas terras da Chela, desfilaram estrelas do basquetebol da província como Filomena Reis, Harvandra Andrade, Isilda Chipongue, Norma Simão, Maria Fernanda, Tucha, Filó, Rosita, Bela, Teresa, Natália Jesuína, Maria Branco, Paula Odeth Simão, Celmira Silva, Sandra Guimarães, Gisela Borges e outras.

Recordou que em 1987 o Clube Desportivo da TAAG - Lubango, participou no Campeonato Nacional de Juvenis, na província do Bié. Ela foi a capitã e pôde mostrar em campo a sua garra individual, sempre jogando para o colectivo. No fim, sagrou-se a segunda melhor cestinha da prova.  Segundo ela, este facto a regozija até nos dias de hoje.

Participou em vários campeonatos nacionais, representando outros clubes provinciais, sem grandes premiações. Actualmente, disse, é o pequeno número de equipas que faz ter pouca competitividade no basquetebol feminino.

 

Interrupção da carreira

A ausência de uma equipa sénior feminina de basquetebol na província da Huíla levou Agnes Alfredo a interromper a carreira. Para evitar a sua total desvinculação da modalidade, inclinou-se para a função de oficial de mesa nos jogos organizados pela Associação Provincial de Basquetebol em todos os escalões e géneros, durante muitos anos.

Actualmente, Agnes Alfredo é comissária provincial.  A sua capacidade, talento e competência de bem fazer e conhecer a modalidade é reconhecida na província da Huíla. Daí que tenha sido convidada pela antiga direcção da Associação Provincial de Basquetebol, encabeçada por Diogo Rodrigues Gomes, a ocupar o cargo de secretária-geral no mandato 2020-2024.

Agnes Rodrigues está a dar continuidade ao seu mandato, sob direcção de Cruz Aleixo "Mangwana”. Segundo ela, há esforços para que haja mais equipas a participarem nos nacionais, tal como já acontecia no passado.

 

O renascer de um sonho

Voltar a ver a Huíla a florir na descoberta de talentos para o engrandecimento da modalidade na província, constitui o sonho de Agnes Alfredo, que tem os olhos focados no projecto "Candengola”.

Segundo ela, mais de 300 crianças com idades que variam dos 5 aos 9 anos, estão inseridas, desde o ano passado, no projecto de basquetebol denominado "Candengola”, que visa massificar o basquetebol no país. O projecto que engloba crianças de ambos os sexos, disse Agnes Alfredo, já foi lançado em Luanda e Benguela. Para o sucesso do mesmo, a província já recebeu algum material desportivo, consubstanciado em bolas e equipamentos.

A secretária-geral da Associação Provincial de Basquetebol da Huíla disse que até aqui os resultados  do projecto, de iniciativa da Federação Angolana de Basquetebol, em parceria com as associações provinciais, são positivos.

"O Candengola é uma inserção para o futuro. O objectivo é cumprir com os escalões. Não queremos que o projecto esteja estagnado. Para tal, queremos contar com os apoios de quem de direito. Já enviamos as cartas a pedir patrocínios. Aguardamos com expectativa as respostas, para adquirirmos material e trabalharmos com as crianças e jovens abrangidos pelo projecto”.

Referiu que no projecto "Candengola” estão inseridas meninas e rapazes, que depois, quando estiverem no escalão de júnior ou juvenil, serão separados. "No momento os jogos são unificados”, explicou.

Mostrou-se preocupada com a falta de comprometimento de alguns clubes que se prontificaram a contribuir para o desenvolvimento do projecto. Segundo Agnes Alfredo, a falha pode criar transtornos, na medida em que o objectivo é cumprir com todas as etapas.

 

Luz verde

A luz verde que se vislumbra para a criação de uma equipa de basquetebol sénior masculina que vai competir nos nacionais deixa Agnes Alfredo optimista. Lembrou que a realização dos nacionais masculino e feminino em basquetebol sub-19, mostrou que a Huíla tem valores.

"Em feminino não digo tão cedo. Mas em masculino, em relação ao campeonato nacional Sub-19, vimos que a Huíla teve três equipas a representarem a província. Se os responsáveis das equipas formarem um misto, a Huíla poderá ser representada no nacional sénior”.

O sonho de criar uma escola

Agnes Alfredo sonha com a criação de uma escola de basquetebol em ambos os sexos. Para ela, a concretização de tal sonho está dependente da criação de condições. "Queremos ter quadra e bolas. Recursos humanos temos, o que falta é material desportivo para a concretização de tal desiderato”, disse.

Agnes Alfredo mostrou-se satisfeita com a dinâmica que está a ser empreendida pela actual direcção da Associação Provincial de Basquetebol. "Estou satisfeita. Cada tempo é um tempo e cada etapa com a sua fase. Trabalhou-se muito, por isso conseguimos estar num patamar onde os resultados do trabalho  desenvolvido são visíveis”, disse.

Garantiu que a actual direcção da Associação Provincial da modalidade está a trabalhar para se fazer o melhor. "Durante o presente quinquénio (2022-2027) vamos sempre trabalhar para o melhor e trazer provas para a província da Huíla e fazer as pessoas felizes, quer dentro quer fora do campo, conforme aconteceu na disputa do jogo da Supertaça ‘Wlademiro Romero’,  entre o 1º de Agosto e o Petro de Luanda”.

 

Reconhecimento do apoio

A antiga basquetebolista reconheceu o apoio do Governo Provincial, que considerou fundamental para a massificação, expansão e desenvolvimento do basquetebol na província.  

É unânime na Huíla que a experiência e o contributo da actual secretária-geral da Associação Provincial tem sido fundamental para o êxito do basquetebol na província. "Um secretário-geral numa associação é o pilar. Quando os seus colegas têm a mesma linguagem, linha de pensamento e a mesma boa vontade de trabalhar, as coisas acontecem. Nesse triénio é o que eu vejo”, disse Agnes Alfredo.

Justificou que o facto de despertar nas pessoas o amor ao próximo e a evitar o espírito de egoísmo "é o que faz com que muitos basquetebolistas na Huíla olhem para mim como espelho, pessoa do bem e fazedora de boas acções”. 

Garantiu que o carácter é para ser mantido, apesar de reconhecer que a sociedade "é um pouco egoísta”.

"Já vimos coisas que não nos agradam. Mas vamos sempre apresentar o bom, para os que têm boa visão verem as coisas que estão a ser feitas”.

Mulher com alma de anjo

Agnes Alfredo é considerada por muitos a mulher que tem "alma de anjo”, pelo seu jeito sempre bem-disposta e sorridente. Segundo o basquetebolista Ivo Alfredo, irmão de Agnes, ela é uma líder "natural” da família. "Ela gosta de procurar todos para conversar e, normalmente, está presente nas actividades familiares sempre que se organizam”, sublinhou.

"A Agnes não faz distinção nem tem preconceitos com ninguém. É com o seu sorriso afável e contagiante que se conduz nos ambientes familiares”, salientou Ivo Alfredo.

Agnes Alfredo e o seu esposo Andrade N’gola formam um casal admirável e amável, acrescentou Ivo Alfredo, que adiantou dizendo que recebem bem as visitas, sempre de braços abertos e que o seu cunhado gosta de dar as boas-vindas com a frase "que haja unhas para tocarem guitarra”.

Agnes Alfredo, salientou o irmão, "é uma mulher prodigiosa e exemplar nos seus actos, que o digam as tias Geny, Angélica, Yeta, Cesária, Natália, Teresa, Maria, Isabel, Umbilina, Paixinha e as primas Rebeca, Sara, Carla, Patrícia, Arlete, Letícia, Manuela, Lila, Augusta, Chorona, sem esquecer a bênção que é a avó Conceição, de 92 anos”.

 

Fada na cozinha

"As mãos de fada na cozinha a nossa irmã herdou da progenitora Catarina Alfredo, ‘mãe Katy’ em memória'”, afirmou Ivo Alfredo, que acrescentou que das suas mãos pode-se esperar pratos angolanos deliciosos.

"Dela se podem esperar pratos angolanos deliciosos, típicos do Norte, do Sul e os modernos. Para sobremesa também herdou a pastelaria com os melhores sabores, desde bolos, pudins e outros recheios”.

Há mais de duas décadas a leccionar as disciplinas de Língua Portuguesa e de Educação Física, Agnes Alfredo tem experiência suficiente para transmitir conhecimentos aos educandos, com a paixão que a caracteriza. Com os colegas ela diz manter "relações profissionais maduras”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login