Economia

ANIESA suspende actividade comercial de 11 empresas

Ana Paulo

Jornalista

A Autoridade Nacional de Inspecção Económica e Segurança Alimentar (ANIESA) suspendeu, temporariamente, as actividades comerciais de 11 empresas, das quais seis estão ligadas à indústria processadora de pescado.

01/12/2022  Última atualização 07H50
Imagem de arquivo de um acto de encerramento de estabelecimento feito no ano passado © Fotografia por: Arquivo/edições novembro

A referida suspensão decorre da actuação dos serviços de inspecção desenvolvido pela ANIESA  no período de 04 a 28 de Novembro. Soube o Jornal de Angola que, no local, os inspectores constataram diversas infracções graves, que perigam a saúde humana.

Entre os actos verificados constam os preços, rotulagem dos produtos e as condições de armazenamento, entre géneros alimentícios e não alimentícios, com vista a garantir o cumprimento escrupuloso das normas que regem as actividades económicas.

Segundo informou a direcção do gabinete  de informação da ANIESA, nas referidas empresas, foram constatadas  grandes quantidades de armazenamento  de produtos com data vencida , produtos deteriorados  e a venda, produtos sem data de validade, falta de asseio e higiene, produtos em contacto com o pavimento, misturas de produtos como carne e peixe, falta de equipamentos de protecção individual,  falta de sinalização no pavimento, entre outros aspectos que perigam a saúde humana.

O grosso de indústrias de pescado actua na província de Benguela, nomeadamente a Indústria Fuhai Atlântico Pescas, Lda, situada na Zona da Caota, a  Indústria Guanda Pesca Lda, também na Caota, a Indústria Sode, Lda, a Indústria Pesqueira Vimar & Filhos Lda, a Indústria Pesqueira Naipe Lda e a Indústria Pesqueira Vitória Oriental Industrial de Pescas Crustáceos, Lda todas estas localizadas no município da Baía Farta.

Com relação as outras empresas incumpridoras, exercem actividades no sector de bebidas  e indústria farmacêutica, nomeadamente a empresa ANSEBA, localizada na província de Cabinda, produtora do sumos, sancionada por  conservar pacotes de sumo com prazos vencidos e outros que não apresentavam data de caducidade. A Farmácia Ilupaka Farma, lda, situada em Luanda,  por falta de asseio e higiene.

Há também as empresas Multi Bebidas, Comércio Geral, Importação e Exportação, localizadas em Luanda, a Soba - Sociedade de Bebidas de Angola S.A, localizada na província de Benguela, uma unidade produtora de cervejas e gasosas de marca Cuca, Eka, Nocal e Top. Quanto às infracções, foram diversas, desde a falta de ventilação, de sinalização no pavimento e falta de equipamentos de protecção individual para os trabalhadores.

 

Apreensões

No que toca às detenções no mesmo período, a ANIESA  confiscou bens alimentares diversos  avaliados  em 21 milhões de kwanzas. Outras detenções efectuadas aconteceu na empresa Cerbab Indústria, Lda, onde os inspectores  confiscaram um total de  22.319 caixas de cervejas, bem como, na empresa Nsansi Sociedade de Água e Sumos Trinda, S.A, onde foram apreendidas 5.380 garrafas de água. Ambos os produtos foram confiscados por não oferecerem condições de consumo.

Ainda nos processos de detenções, a ANIESA deteve o gerente da empresa ANSEBA , que  em breve será apresentado ao Ministério Público. É de recordar que, a referida empresa é produtora do Sumo de marca "Lulu", onde foram encontrados pacotes com prazos vencidos e outros que não apresentavam a data.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia