Sociedade

ANIESA fecha mais de dez empresas e apreende bens alimentares diversos

JA Online

Mais de dez empresas foram encerradas e apreendidos bens alimentares diversos, no país, pela Autoridade Nacional de Inspecção Económica e Segurança Alimentar (ANIESA), no período de 4 à 28 de Novembro, de acordo com um comunicado de balanço das inspecções realizadas, a que o JA Online teve hoje acesso.

28/11/2022  Última atualização 12H30
© Fotografia por: DR

As operações, incidiram na verificação dos preços, rotulagem nos produtos e as condições de armazenamento, dos géneros alimentícios e não alimentícios, entre outros aspectos, com vista a garantir o cumprimento escrupuloso das normas que regem as actividades económicas.

 

Do balanço,  realizado pela ANIESA, a vários operadores nos diversos sectores, destacam-se a especulação de preços em alguns estabelecimentos comerciais, tendo como exemplo, a venda de oito tomates no valor de 2 mil Kwanzas.

 

Segundo um comunicado da ANIESA, das diversas acções de inspecção e fiscalização, na província de Luanda e não só, com especial destaque para os bens alimentares de amplo consumo, constam a suspensão temporária por cometimento de infracções muito graves, das seguintes empresas:

 

1. Multi Bebidas em Alimentos, Comércio Geral, Importação e Exportação, situada no Município de Viana, por falta de asseio e higiene;

 

2. A indústria MAHAMAT SALEHISSAKHA, situada no distrito urbano do Kilamba, por falta de asseio e higiene;

 

 3. A farmácia ILUPAKA FARMA, LDA, situada no distrito urbano do Kilamba, por falta de asseio e higiene;

 

4. Empresa ANSEBA/CABINDA, produtora do Sumo de marca Lulu, por terem sido, encontrados pacotes de sumo, com prazos vencidos e outros pacotes que não apresentavam a respectiva data de caducidade.

 

5. Indústria Soba Sociedade de Bebidas de Angola S.A, localizada na rua da fábrica velha açucareira, município da Catumbela, Província de Benguela, vocacionada na produção de cervejas e gasosas de marca Cuca, Eka, Nocal e Top com diversas infracções, como a falta de ventilação, falta de sinalização no pavimento e falta de equipamentos de protecção individual para os trabalhadores entre outros aspectos.

 

6. A Indústria Fuhai Atlântico Pescas, Lda, situada na Zona Caota, por falta de asseio e higiene.


7. Indústria Guanda Pesca Lda, Rua povoação da Caota, município de Benguela, Província de Benguela. Vocacionada ao exercício de pescados, tendo sido constatados as seguintes infracções: falta de higiene, falta de extintor, falta de sinalização no pavimento, paletes em estado degradado (enferrujada), 756 caixas de peixes sem a data de caducidade entre outras questões.

 

8. Indústria Sode, Lda, situada na Baía Farta, Rua 10 de Dezembro, Província de Benguela. A indústria está vocacionada ao exercício de pescados. As infracções encontradas foram: Mistura de produtos (peixe e carne) na câmara frigorífica, falta de higiene na câmara frigorífica, existência de 135 caixas de peixe sardinha sem a data de produção e validade, entre outras questões.

 

 9. Indústria Pesqueira VIMAR & FILHOS, LDA, localizada na Rua 10 de Dezembro, Município Baía Farta, Província de Benguela, vocacionada ao exercício de pescados, foram detectadas as seguintes infracções: Produtos em contacto com o pavimento, má arrumação dos produtos e produtos em contacto com o pavimento;

 

 10. Indústria Pesqueira NAIPE, LIMITADA, localizada na Rua 1º Maio Bairro Alto Liro, Município Baía Farta, Província de Benguela, vocacionada ao exercício de pescados. Encontradas as seguintes infracções: Falta de Equipamento de protecção individual (botas, tocas e luvas), Pavimento não adequado nas câmaras de congelação, má arrumação caixas directamente com o pavimento e falta de sinalização no pavimento

 

 11. Indústria Pesqueira VITÓRIA ORIENTAL INDUSTRIAL DE PESCAS CRUSTÁCEOS, LDA, localizada no Chamume, bairro da Camboyeira, Município Baía Farta, província de Benguela. vocacionada ao exercício de pescados. Infracções detectadas: falta de sinalização no pavimento, mistura de produtos (arroz e peixe), embalagens de peixes a serem preparadas no chão e falta de higiene.

 

Sobre a  apreensão de produtos foram notificadas as seguintes empresas:

1. Bens alimentares diversos apreendido a empresa "Casa Prelex Pedro e Filhos", situada no Município do Talatona, por se encontrarem com características impróprias para consumo;

 

2. Diversos produtos como: carnes de porco, frango, queijos, fiambre, gelado, iogurte, pão, chouriço, etc. avaliadas em mais de vinte e um milhões, noventa e três mil e novecentos e onze kwanzas e oitenta e três cêntimos, por se encontrarem deteriorados;

 

3. CERBAB INDÚSTRIA, LDA, onde foram apreendidas 22.319 caixas de cervejas por não oferecerem condições de consumo;

 

4. Nsansi Sociedade de Água e Sumos Trinda, S.A, apreendidas 5.380 garrafas de água por não oferecerem condições de consumo.


Por fim, a detenção de um cidadão de nacionalidade eritreia, de nome Alexandre Textos, gerente da empresa ANSEBA, em Cabinda, que fornecia sumos da marca Lulu, com prazos vencidos e outros pacotes que não apresentavam a respectiva data de caducidade.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade