Desporto

Angolanas batem Hong Kong e voltam a triunfar nas Olimpíadas de Xadrez

JA Online

A Selecção Nacional bateu Hong Kong no quadro feminino, na última segunda-feira, nas Olimpíadas de Xadrez, na Índia, em Chennai.

09/08/2022  Última atualização 13H42
© Fotografia por: @chessable
Na mesa 1, a Mestre Internacional Feminina, Esperança Caxita enfrentou com as peças pretas a Candidata a Mestre Feminina, Jing Xin Deng, e ainda que a xadrezista adversária tenha entrado dominante na etapa inicial do jogo, tendo obtido grande vantagem da abertura, pressionado e coordenado as peças de forma a manter o controlo da área para afectar a defesa da mais cotada jogadora nacional em prova, geriu mal o tempo e acabou por cometer várias imprecisões e não aproveitar os lances que teve à disposição.

Como tal, a experiência de Esperança fez com que ganhasse devido a uma melhor gestão do relógio e mais superioridade material, assim concretizando um ponto para o conjunto nacional ao cabo de 72 jogadas.

Na mesa 2, a Mestre Fide Feminina, Ednásia Júnior também defrontou outra Candidata a Mestre, Joy Ching Li, o confronto foi muito disputado, e a partida oscilou para ambos lados com as duas jogadoras a desperdiçarem chances de finalizar o duelo. O jogo terminou com um empate técnico com uma final de torre e bispo contra torre e cavalo com igual número de peões. 

Na mesa 3, Jemima Paulo optou por utilizar a Defesa Sciliana ao medir forças com Ka Yan Lam, após ter obtido uma posição ligeiramente inferior na abertura, mergulhou na complexidade da defesa por ela montada e superou a adversária demonstrando melhor noção posicional e melhor compreensão da estratégia que levava para a partida e saindo vitoriosa em 35 jogadas quando a oponente de Hong Kong abandonou o encontro devido a uma situação irrecuperável.

Por último, na mesa 4 estiveram Renelsa Taiane contra Hoi Ting Leung, num encontro em que a fluidez e o pragmatismo reinaram com a xadrezista nacional a tomar as rédeas desde o início, jogando activamente na ala do rei e da dama, mostrando-se uma verdadeira mestre do tabuleiro e envolvendo as peças no ataque e fazendo trocas em momento oportuno para transformar o jogo numa final que lhe era favorável ao cabo de 59 lances de maestria. 

Com três vitórias e um empate, o combinado nacional volta aos triunfos somando assim 3.5 pontos contra 0.5.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Desporto