Política

Angola trabalha para elevar a quota de mulheres

O Governo angolano tem estado a trabalhar para elevar a quota de 30 para 50 por cento de mulheres na esfera pública, a fim de cumprir com o Programa do Equilíbrio de Género, disse o embaixador de Angola nos Emirados Árabes Unidos, Albino Malungo.

26/11/2021  Última atualização 10H20
Chefe da Missão Diplomática nos Emirados Árabes Unidos © Fotografia por: DR
O diplomata que falava durante o Fórum de Comércio e Investimento FIN África - Emirados Árabes Unidos que de decorreu de 21 a 23 do corrente mês, informou que a igualdade de género e o empoderamento económico da mulher constituem uma prioridade na agenda do Governo e uma premissa das estratégias para o alcance dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável na redução dos índices de pobreza em Angola.
Perante uma plateia composta por grande parte de mulheres e homens de negócios, o chefe da Missão Diplomática nos Emirados afirmou que a chave para o combate ao subdesenvolvimento e pobreza em África passam pela paridade e o empoderamento da mulher.

"O continente tem um futuro muito risonho e temos de ser nós a valorizar cada vez mais as mulheres, pois, a paridade do género e o empoderamento da mulher são a chave para o progresso”, reiterou o embaixador.

Albino Malungo destacou ainda que Angola tem investido em programas e projectos multissectoriais, com o objectivo de fortalecer o apoio à mulher no meio rural, promover o aumento da renda familiar, garantindo o bem-estar das famílias e o fomento do desenvolvimento local, a fim de reduzir os índices de pobreza nas comunidades.

"São desenvolvidos os programas nos domínios da valorização da família e aumento das competências familiares, promoção da mulher rural, requalificação das aldeias rurais, estruturação económica e produtiva das comunidades rurais, desenvolvimento comunitário e apoio às vítimas de violência”, sublinhou.

Na ocasião, as mulheres oriundas de várias partes do mundo saudaram efusivamente as políticas levadas a cabo pelo Governo angolano sobre maior inclusão de mulheres nos órgãos de decisão.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política