Política

Angola reafirma apoio às reformas na ONU

O ministro das Relações Exteriores, Téte António, reafirmou, segunda-feira, em Belgrado, Sérvia, o apoio de Angola às reformas nas Nações Unidas, para permitir maior representatividade regional.

13/10/2021  Última atualização 08H15
Ministro Téte António falou da necessidade de adopção de novas prioridades face aos desafios © Fotografia por: DR
Ao intervir na Cimeira de Chefes de Estado e de Governo do Movimento dos Países Não-Alinhados, Téte António disse que Angola defende o Consenso de Ezulwini, que prevê para o continente africano dois membros permanentes no Conselho de Segurança, com direito a veto, e cinco membros não-permanentes.
Na sua intervenção, o chefe da diplomacia angolana manifestou a solidariedade de Angola com todos os povos que ainda aspiram à autodeterminação e reafirmou o apelo para o levantamento do embargo contra Cuba.

De acordo com o governante, o mundo continua a enfren-tar vários desafios de ordem  económica e social, e com o surgimento da Covid-19 as atenções devem ser centradas na prevenção e combate desta pandemia, incluindo a garantia do acesso equitativo à vacina a todos os países do mundo.
"Algumas das consequências resultantes desses desafios são a migração forçada das populações, a mudança climática, o elevado número de desempregados e a diminuição do poder de compra, em particular às populações mais vulneráveis”, salientou.

Neste sentido, apelou aos países do Movimento no sentido de continuarem a redobrar esforços para que a situação pandémica não venha a agravar o desequilíbrio já existente entre os países, devendo a questão da dívida merecer a maior atenção.

"A actual situação sanitária mundial não só trouxe uma reflexão sobre a necessidade do mundo adoptar novas prioridades, em especial as questões relacionadas com o direito à água, alimentação, habitação e saneamento, a assistência sanitária, assim como no desenvolvimento de novos planos e programas que visam melhorar o bem-estar das nossas populações”, sustentou.

O Movimento dos Países Não-Alinhados foi formalmente criado na Conferência de Belgrado, em 1961, com base nos princípios da preservação das independências nacionais, não integração em nenhum bloco militar, recusa do estabelecimento de bases militares estrangeiras, defesa do direito dos povos à autodeterminação e luta por um desarmamento completo e geral. Angola é membro da organização desde 16 Agosto de 1976.
Reforço da cooperação 

O ministro das Relações Exteriores efectuou uma visita oficial de dois dias, que terminou ontem, no âmbito bilateral e multilateral.

Estão em estudo diplomas jurídicos, que poderão ser assinados, nos domínios da protecção recíproca de investimento, cooperação científica entre os ministérios das Relações Exteriores, e outros acordos a serem explorados, sobretudo, no domínio empresarial. A nível bilateral existe o interesse de se assinarem diversos acordos, bem como efectuarem a troca de opiniões sobre vários temas da actualidade internacional.
Visita à Rússia 

O chefe da diplomacia angolana efectua, hoje e amanhã, uma visita de trabalho à Federação da Rússia, no quadro da reciprocidade diplomática, em resposta a um convite formulado pelo homólogo russo, Serguey Lavrov.
Cooperação militar 
Na Sérvia está também uma delegação do Ministério da Defesa Nacional e Veteranos da Pátria, chefiada pelo titular, João Ernesto dos Santos "Liberdade”, que participa, até hoje, na 10ª Feira Internacional de Armamento e Equipamento Militar "Partner 2021”, a convite das autoridades locais.

Na quinta-feira passada, o secretário de Estado para a Indústria Militar, Afonso Carlos Neto, participou, em Belgrado, na 5ª Reunião do Comité Conjunto de Cooperação Técnico-Militar Sérvia-Angola, no âmbito do reforço das relações de amizade e de cooperação entre os dois países.

Durante o encontro, as partes passaram em revista as deliberações da 4ª reunião realizada em Luanda, em 2018, cuja execução foi fortemente afectada pelas consequências da Covid-19.

As acções visam contribuir no fomento de uma indústria militar em Angola, particularmente na formação técnico-militar e médico-militar de quadros das Forças Armadas Angolanas (FAA).No quadro bilateral, Angola e a Sérvia buscam diferentes vias para fortalecer a cooperação, com realce para a Agricultura e a formação de quadros ligados às Forças Armadas Angolanas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política