Desporto

Angola perde com Mali e falha meias-finais

Juscelino da Silva | Yaoundé

A Selecção Nacional sénior feminina de basquetebol perdeu ontem, diante do Mali, por 74-53, e falhou o passe para as meias-finais do Campeonato Africano das Nações, Afrobasket'2021, que decorre até domingo em Yaoundé, capital dos Camarões.

24/09/2021  Última atualização 09H20
Angolanas foram incapazes de travar pendor ofensivo das malianas, fortes candidatas ao título © Fotografia por: FIBA.COM
Walter Costa e atletas sabiam que o jogo não seria fácil. A derrota do "cinco" nacional começou a ser desenhada logo no primeiro quarto, com as  malianas a assumirem as despesas do jogo,  deixando sem soluções ofensivas  e defensivas às atletas angolanas, que tudo fizeram para tentar  travar as investidas do Mali, que saiu a vencer este quarto por 20-07.

No segundo período, a Selecção Nacional  entrou com outra postura, passou a marcar homem-a-homem a toda a  dimensão da quadra, mas foi sol de pouca dura, porque rapidamente o treinador do Mali, Sylvain Lautie, solicitou um minuto e trabalhou a equipa, e as malianas voltaram a comandar o jogo face a apatia das jogadoras angolanas. O Mali foi ao intervalo maior a vencer por 21-46. O resultado espelhava bem a superioridade das jogadoras do Mali.

No terceiro quarto, quando tudo indicava que as pupilas de Walter Costa iriam dar a volta ao texto, a Selecção Nacional  protagonizou o pior momento no jogo, com o Mali a dar um verdadeiro recital de basquetebol com excelentes jogadas combinadas. Tudo saía perfeito para as jogadoras do técnico francês.O Mali, bem apoiado pela sua comunidade residente em Yaoundé, voltou a  ser superior no terceiro quarto, saindo a vencer por 64-30.

As coisas não corriam bem para o "cinco" nacional. Nem mesmo as constantes alterações, que Walter Costa fazia no xadrez, permitiram estancar a avalanche ofensiva do Mali.As jogadoras estavam a defrontar uma selecção maliana com jogadoras bem dotadas tecnicamente, que circulavam bem a bola em todos os sectores com a devida calma, chegando facilmente ao  cesto defendido por Angola.

Nem mesmo as melhores unidades do "cinco" nacional tiveram arte e engenho para travar as malianas, que souberam tirar proveito dos inúmeros erros defensivos das jogadoras angolanas.O Mali era dono e senhor do jogo, deixando uma vez mais sem soluções defensivas e ofensivas o combinado nacional, cujas jogadoras cometiam erros atrás de erros, protagonizando a pior exibição do "cinco" nacional nesta edição do Afrobasket.

Apesar de nunca virarem cara à luta e decididas a vender cara a derrota,  com uma defesa mais aguerrida que desgastava as postes do Mali, a tendência do jogo estava definida. As malianas estavam em dia sim, com um jogo ofensivo demolidor, e não  deixaram fugir a vitória, fixando o resultado final em 74-53.

No "cinco" nacional destaque para os 15 pontos das postes Cristina Matiquite e 11 de Avelina Peso. A base Italee Lucas, incrivelmente, terminou com apenas três pontos.Angola falha o acesso às meias-finais e vai agora disputar as classificativas do quinto ao oitavo lugar, a partir de hoje com o Egipto, ao passo que Moçambique defronta a Costa do Marfim. Senegal e Nigéria na final antecipada 

As selecções do Senegal e da Nigéria disputam hoje, às 20h00, no Palácio dos Desportos de Yaoundé, o acesso à final da 27ª edição do Campeonato Africano das Nações, Afrobasket'2021,  que decorre até domingo em Yaoundé, Camarões. Quis o destino que as duas melhores selecções da prova cruzassem nas meias-finais.

A partida é considerada como uma final antecipada, uma vez  que coloca frente-a-frente dois conjuntos até aqui imaculados, que têm como meta a conquista do troféu.A Nigéria, actual campeã, defronta a vice. O jogo é de desfecho imprevisível, dada a  qualidade patenteada pelas equipas na competição. 

Se, por um lado, a Nigéria tem uma das melhores jogadoras da prova, do outro está  um Senegal, comandado por  Moustapha Gaye, também tem excelentes executantes, pelo que a partida será difícil e o equilíbrio deverá ser a tónica, pois ambas vêm  de trajectórias idênticas quer na fase de grupos quer no "mata-mata".

Para chegarem às  meias-finais, a Nigéria despachou a Costa do Marfim por 72-46, ao passo que o Senegal derrotou Moçambique por 74-46.As senegalesas vão para o encontro com o orgulho ferido pelo facto de terem perdido em casa a final do Afrobasket de 2019.

Moustapha Gaye, em declarações ao Jornal de Angola, garantiu ter estudado bem os pontos fortes  da Nigéria, e  aguarda por um bom jogo, onde as jogadoras terão de entrar compenetradas, para não voltarem a ser surpreendidas.

O frente-a-frente entre nigerianas e senegalesas está recheado de incógnitas, quanto ao desfecho.Camarões e o Mali jogam a outra meia-final. A Selecção anfitriã assume o favoritismo,  por jogar em casa e pela  brilhante campanha na fase preliminar, onde obteve o pleno e garantiu o acesso  directo aos quartos-de-final, onde derrotou o Egipto, por 67-61, numa partida pautada pelo equilíbrio.  do princípio ao fim.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Desporto