Política

Angola pede empenho geral para o Fundo da UA

O embaixador de Angola na Etiópia e representante permanente junto da União Africana (UA), Miguel Bembe, apelou ao empenho colectivo dos Estados-membros para a operacionalização do Fundo para a Paz da organização e do Centro Africano para o Controlo e Prevenção de Doenças (CDC-África).

24/06/2024  Última atualização 08H54
Miguel Bembe lançou o apelo durante a 48.ª sessão da COREP © Fotografia por: DR

O apelo foi lançado, sexta-feira, durante a 48.ª Sessão Ordinária do Comité dos Representantes Permanentes (COREP).

O diplomata, dirigindo a reunião na qualidade de primeiro vice-presidente de mesa da UA, sublinhou que Angola reconhece que nos últimos tempos os Estados-membros da organização continental continuam a enfrentar enormes desafios económicos e sociais, resultantes de múltiplos e adversos fenómenos.

Miguel Bembe exemplificou o caso da proliferação de conflitos regionais e internacionais, a pressão provocada pela inflação generalizada e as alterações climáticas, eventos que têm afectado seriamente o crescimento e desenvolvimento dos países, assim como a capacidade de honrar os compromissos assumidos em relação às contribuições estatutárias.

O também representante de Angola na Comissão Económica das Nações Unidas para África (UNECA) lançou, ainda, um repto aos presidentes dos subcomités do COREP, dos comités especializados e ao Secretariado da Comissão da União Africana no sentido de submeterem os relatórios dos trabalhos desenvolvidos dentro dos prazos estipulados.

 A reunião abordou a preparação da 45.ª Sessão Ordinária do Conselho Executivo e da 6.ª Sessão Ordinária de Coordenação Semestral da União Africana, que acontecem em Accra, República do Ghana, sendo a primeira a 18 e 19 de Julho e a segunda a 21 do mesmo mês.

Deste modo, o projecto de agenda da 45.ª Sessão Ordinária do Conselho Executivo envolve a análise do relatório da 48.ª Sessão Ordinária do COREP, a eleição dos órgãos da UA, nomeadamente dos três juízes do Tribunal Africano dos Direitos Humanos e dos Povos (TADHP), do presidente do conselho da Universidade Pan-Africana (UPA), de dois membros do Conselho Espacial Africano e de um membro do Conselho Consultivo da União Africana Contra a Corrupção (AUABC).

Constam ainda na agenda assuntos inerentes à participação da União Africana na próxima reunião do G20, em Novembro deste ano, o relatório sobre o quadro operacional que define as funções do Parlamento Pan-Africano e os informes da equipa técnica independente da UA sobre o Acolhimento da Agência Humanitária Africana (AFHA) e dos Comités do Conselho Executivo.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política