Economia

Angola nas reuniões anuais do Banco Mundial e FMI

A ministra das Finanças, Vera Daves, lidera a delegação angolana que,de 12 a 17 de Outubro, participa nas reuniões anuais do Banco Mundial (BM) e do Fundo Monetário Internacional (FMI), este ano realizada online, envolvendo representantes da economia e das finanças internacionais.

10/10/2020  Última atualização 20H01
Dombele Bernardo | Edições Novembro © Fotografia por: Vera Daves e outros representantes angolanos entram em intenso diálogo com doadores de fundos

A informação é avançada numa nota de imprensa enviada hoje à nossa Redacção, em que o Ministério das Finanças indica que a delegação angolana é integrada pelo ministro da Economia e Planeamento, o secretário para os Assuntos Económicos do Presidente da República e o governador do Banco Nacional de Angola (BNA), Sérgio Santos, Victor Hugo Guilherme e José de Lima Massano, respectivamente.

O documento revela que a ministra das Finanças foi convidada pela directora-geral do FMI, Kristalina Georgieva, para integrar um painel de alto nível sobre o “Pós-Covid-19: Recuperação Económica e Resiliência”, ao lado de entidades como o antigo governador do Banco Central da Inglaterra e enviado especial das Nações Unidas para Acção Climática e Finanças, Mark Carney, e o presidente do fundo de investimentos Black Rock Inc, Laurence Fink, com moderação da editora e apresentadora da Bloomberg TV Francine Lacqua.

Vera Daves também participa no encontro conjunto de alto nível (BM-FMI) Mobilização com África II, que será moderado pelo director do Departamento Africano do FMI, Abebe Selassie, bem como no “Governor Talk: Angola”, que será difundido na terça-feira.

A delegação participa, ainda, em encontros dirigidos aos ministros e governadores dos bancos centrais de todo o mundo, além de audiências e encontros com executivos de bancos internacionais e responsáveis das instituições de Bretton Woods, bem como da alta finança internacional para analisar a conjuntura macroeconómica internacional, a conjuntura angolana e regional africana.

Figuram entre esses encontros a reunião do Comité de Desenvolvimento, da Constituência de Angola, Nigéria e África do Sul (ANSA) junto do Banco Mundial e da “Constituência 1” junto do FMI, antes do Caucus Africano, assim como seminários em que a situação macroeconómica de Angola será vista por todos os participantes como um caso relevante em matéria de desafios macroeconómicos em contexto pós-Covid-19, de acordo com o documento.

Outros encontros ocorrem com o director-geral para as Operações do Banco Mundial, Axel Van Trotsen Burg, o vice-presidente do Banco Mundial para África, Hafez Ghanem, e com o director do IFC para África, Sérgio Pimenta.

Estão previstos encontros entre a Comissão do Mercado de Capitais (CMC) e a Bolsa da Dívida e Valores de Angola (BODIVA) com a IFC, do BNA com o Banco Industrial e Comercial da China (ICBC) e o Standard Bank, bem como entre a equipa técnica do Ministério das Finanças e da Unidade de Gestão da Dívida Pública com as equipas das Operações de Apoio Orçamental do Banco Mundial e Banco Africano de Desenvolvimento.

A nota refere, também, um Fórum de negócios organizado pelo Standard Chartered Bank com investidores dos mercados financeiros internacionais e com o Banco HSBC.

Angola é membro do BM e do FMI desde 1989, estando a cimentar, ao longo dos últimos anos, a relação com as duas instituições mediante programas estabelecidos para melhorar a gestão e consolidação das contas nacionais, aperfeiçoar os mecanismos de investimento e a promover o crescimento económico e social.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia