Economia

Angola “mostra-se” aos Emirados

Angola esteve, de 13 a 14 deste mês (quarta e quinta-feira), nos Emirados Árabes Unidos, no Fórum Global de Negócios África/Dubai 2021 e mostrou vários projectos considerados importantes para alertar os investidores estrangeiros da necessidade de se canalizar recursos a este segmento.

16/10/2021  Última atualização 14H53
Mário Oliveira convidou empresários a apostar no sector em Angola © Fotografia por: CEDIDA

Segundo o secretário de Estado para as Telecomunicações e Tecnologias de Informação, Mário Oliveira, aproveitou-se a oportunidade para enaltecer o interesse de alguns investidores dos Emirados Árabes Unidos (EAU) em apostar no sector.

Em declarações aos jornalistas à margem do Fórum Global de Negócios África – Dubai 2021, na cidade económica dos EAU, considerou fundamental que os Emirados concentrem igualmente atenção a esta área que ajudará, no futuro, a alavancar a economia nacional, uma vez que a nível internacional já acontece.

Mário Oliveira disse que o sector tem vários projectos e realçou a necessidade de alertar os investidores estrangeiros para canalizar recursos a este segmento importante com as vantagens recíprocas, exemplificando o alargamento da banda larga no território nacional, a construção e colocação em órbita do ANGOSAT-2.

Citou igualmente o satélite de telecomunicações, cujo lançamento em órbita está previsto para 2022 e outros serviços públicos electrónicos que permitem ao cidadão o acesso rápido a vários outros do sector de forma virtual, tal como acontece com o registo de empresas e a impressão do cartão de segurança social.

O ANGOSAT é um projecto do Programa Espacial Nacional para a construção, lançamento e operação de satélites angolanos geoestacionários, visando a expansão dos serviços de comunicação via satélite (internet, rádio, telefonia e televisão), por todo país. O Angosat-2 cobrirá toda a África e parte da Europa.

Além disso, existe o Angola Online, um projecto social sem fins lucrativos com o objectivo de criar pontos de acesso público e gratuitos à Internet em diversos locais do país e outros enquadrados na Governação Electrónica, um modelo moderno que tem vindo a ser adoptado por muitas Nações no mundo.

Mário Oliveira referiu ainda que o Governo tem como meta modernizar e expandir a Rede Nacional de Banda Larga, que incide na reparação de troços de fibra óptica e dos links de micro ondas inoperacionais e a construção de novos, a partir das infra-estruturas construídas.

Dados do sector apontam que o país conta com mais de 22 mil quilómetros de fibra óptica, que têm permitido a conexão de 14 milhões de assinantes de telefonia móvel, sete milhões de utilizadores de Internet e dois milhões de subscritores de televisão por assinatura.

"Mostrou-nos algum interesse em vir aos Emirados Árabes Unidos para participar no Fórum Global de Negócios Dubai - África 2021, para colher experiências com os empresários de outra latitude, tendo em conta os inúmeros projectos do sector em curso”, frisou o secretário de Estado Mário Oliveira.

Neste fórum, patrocinado pelo Sheikh Mohammed Bin Rashid Al Maktoum, participaram alguns presidentes africanos, ministros, gestores e empresários angolanos e do continente, sob o lema: "Transformação por Meio do Comércio”, no Centro de Exposições de Dubai - Expo 2020, com a presença de 55 países e mais de mil delegados ou homens de negócios.

Angola esteve com os ministros da Economia e Planeamento, Mário João, e o da Indústria e Comércio, Victor Fernandes, além dos secretários de Estado para as Finanças e do Tesouro, Ottoniel dos Santos; Ciência, Tecnologia e Inovação, Domingos Neto; das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, Mário Oliveira; e do embaixador nos Emirados Árabes Unidos, Albino Malungo.

Presença no acordo

Mário Oliveira presenciou, além dos ministros da Economia e Planeamento e da Indústria e Comércio, a assinatura de um Memorando de Entendimento entre a Câmara de Comércio e Indústria Angola - EAU e a Câmara do Dubai, tendente a melhorar a promoção das relações comerciais entre os dois países.

O acordo foi assinado à margem do Fórum por Bráulio Mohammed Martins, da parte angolana, e Hammad Buamim, dos emiratis, presidente e CEO do Dubai Chamber.

O novo "white paper” lançado na preparação para o Global Business Forum Africa 2021 identificou os segmentos fintech, saúde, agricultura e comércio electrónico como sectores de alto potencial para impulsionar o intercâmbio de negócios entre os Emirados e a África.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia