Cultura

“Angola-Meu Amor” esteve em evidência

“Angola – Meu Amor” é o título da exposição do artista angolano Álvaro Macieira, que esteve em evidência no ciclo de exposições “Policromias lusófonas”, decorrentes na 13ª Semana Cultural da China e dos Países de Língua Portuguesa, encerrada a 30 de Dezembro do ano passado, em Macau.

06/01/2022  Última atualização 10H50
Trabalhos de Álvaro Macieira estiveram em destaque durante o projecto realizado em Macau © Fotografia por: DR
Organizada pelo Secretariado Permanente do Fórum de Macau, a actividade incluiu a realização de três seminários, ministrados por angolanos, e contou com a visita e participação por mais de 500 pessoas, em 17 dias.

A exposição do artista angolano Álvaro Macieira contou com 30 obras pictóricas, que evidenciam a profundeza e a diversidade das culturas africanas. A exposição teve como objectivo apresentar, através da plataforma de Macau, as culturas tradicionais de Angola, assim como alguns símbolos mitológicos e contos históricos nacionais.

Utilizando formas distintas das artes plásticas coloridas, a exposição marcou, também, de forma profunda, as culturas especiais de África, como maneira de conservar a beleza da harmonia entre o ser humano e a natureza.

Com a exposição, Álvaro Macieira disse que pretende traçar um novo capítulo no intercâmbio cultural e amistoso entre a China e os Países de Língua Portuguesa.

Durante a exposição, foram ainda realizados três seminários sobre África, para promover a divulgação das culturas tradicionais de Angola ao público. Os seminários foram ministrados por integrantes da Associação de Angola Macau e teve, ainda, a participação de instrutores artísticos de Angola em Macau, que ensinaram sobre a produção de brinquedos tradicionais, tais como bonecos Samakaka e máscaras com decorações de pintura e colagem.

O encontro

A 13ª Semana Cultural da China e dos Países de Língua Portuguesa, organizada pelo Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau), procura criar uma parceria mais activa entre os participantes.

Em 2020, devido à epidemia causada pelo Covid-19, a Semana Cultural da China e dos Países de Língua Portuguesa realizou-se, pela primeira vez, com recurso aos formatos "online” e "off-line”, que continuaram a ser usado este ano, para permitir ao público, de todo o mundo, experimentar, em diversas formas, as ricas e diversificadas tradições e culturas lusófonas exibidas.

Ao longo das 13 edições da Semana Cultural, a organização tem promovido, de forma proactiva, o intercâmbio e a cooperação culturais entre a China e os Países de Língua Portuguesa, destacando o desempenho do papel de Macau como Plataforma de Serviços, para incentivo à cooperação comercial.

Na edição deste ano, a organização da semana cultural adicionou novas actividades, nomeadamente o "Concurso da Criação de Vídeos Promocionais sobre os Países de Língua Portuguesa”, bem como as exposições e seminários sob o tema de "Policromias lusófonas”.

Nesta edição, tendo em conta a pandemia, foram acrescentados mais conteúdos online, bem como programas mais diversificados, incluindo exposições de vídeos promocionais de culturas lusófonas e vídeos informáticos, alguns sobre as províncias chinesas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura