Economia

Angola em reunião do Processo Kimberley

Angola participa, de terça a sexta-feira, na Reunião Intercalar do Processo Kimberley, a decorrer em Kasane, Botswana, para discutir o assunto da definição da sede do Secretariado Permanente do Processo Kimberley, que não obteve consenso durante a Reunião Plenária realizada em Moscovo, em 2021.

19/06/2022  Última atualização 11H40
© Fotografia por: DR

Segundo uma nota de imprensa enviada sexta-feira última às Redacções, a reunião conta com a participação de representantes de 82 países participantes do Sistema Internacional de Certificação do Processo Kimberley (SCPK). 

No encontro, a delegação angolana é chefiada pelo coordenador executivo da Comissão Nacional do Processo Kimberley (CNPK), Paulo Mvika, integrando quadros seniores deste organismo. 

Angola é co-fundadora e participante das principais decisões do Processo Kimberley, criado em 2003 com o objectivo de eliminar o comércio de diamantes de conflito. 

O Botswana assume, actualmente, a presidência rotativa do Processo Kimberley, tendo como vice-presidente o Zimbabwe. 

O Processo de Kimberley é um sistema de certificação de origem de diamantes concebido para evitar a compra e venda de diamantes de sangue, ou procedentes de áreas de conflito,  guerras civis e de abusos de direitos humanos.

Foi criado em 2003, com o objectivo de evitar o financiamento de armas em países africanos em guerra civil. Em 2000, diversos países aceitaram o Processo Kimberley, comprometendo-se a só adquirir diamantes brutos certificados (com procedência confirmada por certificado oficial) e a recusar importações vindas de áreas de conflito.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia