Economia

Angola e Itália projectam realizar fórum empresarial no próximo ano

Ana Paulo

Jornalista

O embaixador de Itália em Angola, Cristiano Gallo, manifestou, recentemente, total apoio institucional à intenção de realização de um Fórum Empresarial entre os dois países, dentro do 3º Trimestre de 2022, conforme desejo da Câmara de Comércio Angola e Itália.

22/11/2021  Última atualização 08H48
Terceiro aniversário de criação da Câmara de Comércio Angola-Itália serviu para a avaliação dos passos dados até o presente © Fotografia por: DR
Cristiano Gallo reconheceu ao Jornal de Angola, que desde a chegada ao país, tem tido a oportunidade de constatar a intensa actividade da câmara no estabelecimento de relações com as instituições angolanas, criação de laços com a realidade económica nacional, bem como com a classe empresarial italiana que tem o foco na descoberta do potencial existente em Angola para investir.

"Estes esforços irão, em breve, dar frutos em termos de crescimento institucional da câmara, o que permitirá afirmar o papel de ponto de referência entre os dois países, através das embaixadas, bem como de operadores económicos, que olham as oportunidades que o mercado angolano pode oferecer", disse.

Durante um encontro que marcou os três anos desde a fundação da Câmara, Cristiano Gallo assegurou estar-se a criar condições para que este fórum decorra em Milão, Itália, e que o mesmo possa contar com inúmeras empresas angolanas.
Por sua vez, o presidente da Câmara de Comércio e Indústria Angola - Itália, Mário Cabrine, disse que têm em curso novos  projectos,  resultante de vários pedidos de empresários e associações   italianos, que pretendem intervir no mercado angolano.

Mário Cabrine indicou que os interessados pretendem investir em Angola no sector produtivo e que muitos deles gostariam também de participar na Feira Internacional de Luanda (FILDA), facto que não foi possível face à situação de Covid-19 em todo o mundo, que obriga a movimentações mais restritas e uma preparação mais atempada.
No imediato, é pretensão da parte angolana obter o reconhecimento legal da Associação Italiana das Câmaras de Comércio (ASSOCAMARA), criada com o objectivo de fortalecer mais ainda as relações da classe empresarial italiana com os angolanos.

"Estamos a prepararmo-nos para entregar o dossier às autoridades de Itália, para que nos tornemos, definitivamente, uma Câmara Bilateral Angola - Itália", garantiu o presidente.
Conforme actualizou, neste momento, controlam mais de 100 empresas dos vários ramos, dentre banca, seguradora, petrolíferas, agricultura, indústria, sector alimentar e maquinarias.


Domínio do petróleo

Já na voz do vice-presidente da câmara, Hélder Cardoso, soube-se que as trocas comerciais entre Angola e Itália, registadas nos últimos dois anos, cifraram-se nos 400 milhões de dólares e que 90 por cento do resultado é receita petrolífero.

Hélder Cardoso realçou também que a relação comercial entre os dois países foca-se com maior realce no sector petrolífero, representando, por isso, maior peso na balança.

Ainda assim, reconhece o vice-presidente da Câmara de Comércio Angola - Itália, o resultado das exportações seria maior caso houvesse uma ligação directa entre Angola e Itália, o que não acontece, porque até a presente data as trocas comerciais são feitas por intermédio de outros países, isto é, os associados compram bens e serviços da Itália por intermédio de países como Portugal, Brasil e África do Sul.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia