Economia

Angola e ICAO assinam extensão de contrato de assistência técnica

O ministro dos Transportes, Ricardo D’Abreu, e o secretário-geral da Organização Internacional da Aviação Civil (ICAO), Juan Salazar, assinaram, nesta terça-feira, em Istambul-Turquia, a extensão do contrato de assistência técnica entre o nosso país e aquela organização.

28/06/2022  Última atualização 15H01
© Fotografia por: CEDIDA

Nos termos do contrato, a ICAO vai continuar a fornecer assistência técnica a Angola para a melhorar o seu sistema de supervisão da aviação civil nacional, por via da segurança operacional, da melhoria do nível de implementação efectiva das normas e práticas recomendadas (SARPS) pela ICAO.

Segundo um comunicado de imprensa do Ministério dos Transportes a que Jornal de Angola teve acesso, o contrato de assistência técnica prevê, igualmente, a implementação efectiva das acções a nível Legal e Organizacional, na autoavaliação e preparação para a Auditoria ICAO.

A assinatura desta extensão do contrato de assistência técnica vem o seguimento do assinado em Luanda, entre o Ministério dos Transportes e o Secretário-geral da ICAO em 2019, designado AGO18801.

Depois da assinatura deste contrato, o ministro Ricardo D’Abreu participa no Simpósio de Apoio à Implementação Global da Organização da Aviação Civil Internacional (ICAO), a decorrer até ao dia 1 de Julho, em Istambul.

O evento acontece sob o lema "Reconectando o mundo: Pista para a recuperação da aviação”, é co-organizado pela Direcção Geral de Aviação Civil da Turkia (DGCA), pretende discutir as soluções para alavancar o sector afectado pela pandemia Covid-19, num contexto de incerteza económica, congregando as companhias aéreas, aeroportos, provedores de serviços de navegação aérea, reguladores, organizações internacionais e parceiros, chamados a adaptar-se à nova realidade e proporcionar experiências de viagens mais seguras e sustentáveis.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia