Política

Angola destaca projecto do Cafu no combate aos impactos da seca

Geraldo Quiala | em Malabo

Jornalista

Angola reafirmou, em Malabo, Guiné Equatorial, a preocupação com as questões climáticas, e destacou que o projecto do Cafu (no Cunene) ajudará no combate aos impactos da seca, além de beneficiar mais de 230 mil habitantes, antes afectados pela estiagem.

24/05/2022  Última atualização 18H20
© Fotografia por: CIPRA | Arquivo

Esta informação foi avançada durante as reuniões de peritos para a preparação das Cimeiras Extraordinárias de Chefes de Estado e de Governo da União Africana sobre a Situação Humanitária e outra relacionada com o Terrorismo e Mudanças Inconstitucionais de Governo em África, por Inácio José, director do Gabinete da secretária de Estado para a Família e Promoção da Mulher. 

Na intervenção de segunda-feira, na abertura dos trabalhos, no painel sobre as "mudanças climáticas, desastres e deslocados internos em África”, sublinhou que o Executivo angolano no âmbito do seu programa de combate à seca no Sul do país gizou o projecto de infra-estrututas de captação e reserva de água no Rio Cunene, com uma extensão de 160 quilómetros, na localidade de Cafu para a região das chanas daquela província.

Perante os especialistas de diversos países presentes na sessão, Inácio José reforçou que esta acção se repercute hoje, positivamente, na resiliência das alterações climáticas, assim como na criação de condições para o desenvolvimento da Agricultura e da Pecuária na região.

Considerou que a abordagem da presente temática, neste fórum, é oportuna, na medida em que África tem sido assolada pelos impactos das mudanças climáticas e desastres naturais, que se manifestam de forma bastante variada e específica para cada um dos países, criando consequências de âmbito socio-económico e humanitário.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política