Desporto

Angola defronta Brasil com olhos nas “meias”

António Cristóvão

Jornalista

A Selecção Nacional de futebol para amputados defronta hoje, às 14h00, no Complexo Desportivo da Federação Turca de Futebol (TFF), na Vila de Riva, em Istambul, o Brasil, em jogo dos quartos-de-final do Campeonato do Mundo. Os angolanos garantiram, ontem, a presença, após vitória por 1-0 sobre a Inglaterra nos oitavos-de-final.

06/10/2022  Última atualização 05H55
Selecção Nacional de futebol para amputados © Fotografia por: DR

Um golo do avançado Heno Guilherme, aos 57 minutos (segundo tempo do prolongamento), ao aproveitar uma falha de marcação dos defensores ingleses, bastou para a Selecção Nacional de futebol vencer a Inglaterra.

O duelo dos oitavos-de-final, disputado no campo nº 1 A da TFF, foi o mais suado do combinado nacional no Campeonato do Mundo que decorre em Istambul. Os campeões mundiais sentiram imensas dificuldades para superar a bem montada estrutura defensiva da selecção inglesa. Aliás, durante quase todo o desafio, remeteram-se no sector defensivo e apostaram, constantemente, nos contra-ataques rápidos para surpreender o último reduto da Selecção Nacional, mas sem sucesso, devido à organização dos angolanos.

Durante o tempo regulamentar, registou-se uma igualdade sem golos, devido, também,  à falta de eficácia dos campeões mundiais. 

Na segunda metade do desafio, apesar de algumas correcções do sistema de jogo durante o intervalo, a Selecção Nacional continuou a pecar no momento da decisão no meio-campo dos ingleses.

Apesar das substituições efectuadas pelo corpo técnico de Angola, os atletas não acertavam na forma de jogar e mostravam-se aflitos, devido à ansiedade de resolver o jogo no tempo regulamentar.

O desafio ficou marcado, também, pela expulsão do avançado João das Dores Chiquete por acumulação de cartões amarelos. Foi num período em que a dupla de árbitros turco, constituída por Cengiz Demir e Abdullah Inan, com realce para o primeiro, que evidenciou simpatia pela Selecção da Inglaterra.

A igualdade interessava ao adversário que pretendia levar o jogo para a marcação de grandes penalidades. Deste modo, optaram pelo anti-jogo, com quedas frequentes no terreno do desafio, para travar o ímpeto atacante dos angolanos.

 

Adversário

O Brasil, adversário de Angola no jogo de hoje, garantiu a presença nos quartos-de-final do Campeonato do Mundo, fruto da vitória, por 2-1, sobre a Selecção da Polónia, igualmente ontem, em jogo dos oitavos-de-final, disputado no campo número 2 B, no Complexo Desportivo da TFF.

 

Africanos

Tanzânia e Marrocos, outras selecções africanas no Mundial, apuraram-se, ontem, igualmente,  para os quartos-de-final, ao derrotarem o Japão (3-1) e Argentina (4-0). Hoje para os "quartos”, a Tanzânia joga com  o Haiti, ao passo que Marrocos enfrenta a Turquia, em vila de Riva.

Já a europeia Itália joga com o Uzbequistão, no Desportivo da TFF.

Cheto Baptista indignado com árbitros turcos

O seleccionador nacional Cheto Baptista mostrou-se, ontem, desapontado com o trabalho da dupla de árbitros turcos que dirigiu o jogo  com a Inglaterra, disputado no campo número 1 A, da Federação Turca de Futebol (TFF), na vila de Riva, na província de Istambul, em que Angola venceu por 1-0.

"Foi uma vitória sofrida, um jogo muito atípico com uma arbitragem tendenciosa. Os árbitros estavam em cima de nós durante a partida. No período de compensação, deu quatro minutos, mas jogámos mais de seis. Eles, os árbitros, vieram com a lição bem estudada para  afastar Angola, mas, felizmente, isso não aconteceu”, disse o seleccionador, visivelmente descontente com a actuação dos juízes.

Cheto destacou a bravura do combinado nacional durante o jogo e felicitou os jogadores pela qualificação aos quartos-de-final do Mundial.

"Dominámos o jogo do princípio ao fim, mas o importante foi a qualificação para os quartos-de-final. Os jogadores estão de parabéns. Conseguimos passar a outra fase”, referiu o treinador ao Jornal de Angola.

Questionado sobre o jogo com os brasileiros, marcado para esta tarde, na Vila de Riva, Cheto solicitou aos árbitros competência e neutralidade para não prejudicar o espectáculo.

"Estamos aqui para jogar, seja quem for o adversário, mas desde que os árbitros apitem com neutralidade”, finalizou.

A Selecção brasileira conquistou os mundiais de 2000 e 2001, provas disputadas nas cidades de Seattle e Rio de Janeiro.  

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Desporto