Economia

Angola convida sul-africanos na construção da refinaria do Lobito

O ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás, Diamantino Azevedo, convidou ontem, em Luanda, as empresas sul-africanas a investirem no sector mineiro angolano, bem como a participarem na construção da refinaria de Lobito (Benguela).

09/06/2021  Última atualização 08H29
Embaixador Oupa Monareng e o ministro Diamantino Azevedo © Fotografia por: DR
No encontro que manteve com o embaixador sul-africano, Oupa Monareng, com quem abordou questões ligadas às oportunidades de ne-gócio nos dois países, Diamantino Azevedo pediu aos empresários daquele país da SADC, a apostarem também nos sectores de Armazenagem e Distribuição de Combustíveis.


O ministro falou também do alargamento, até 9 de Julho, do prazo de entrega das propostas de licitação das bacias terrestres do Baixo Congo e Kwanza.

Assistência técnica

Por sua vez, o diplomata sul-africano transmitiu a posição e o interesse do seu país em oferecer assistência técnica ao Governo angolano, no sector dos Recursos Minerais.
Para ele, a Covid-19 constitui um entrave ao crescimento do negócio entre os dois países, já que, segundo exemplificou, o interesse no gás angolano era de 1,23 milhões de dólares e perto de 499 milhões em outros recursos.

"Estes investimentos abrandaram devido à pandemia", explicou Oupa Monareng.
Disse haver "disposição para auxiliar" Angola em vários domínios, tendo pedido mais divulgação das potencialidades minerais de Angola, para que os investidores sul-africanos possam apostar.
A África do Sul importa quantidades significativas de petróleo bruto de Angola, tendo gasto em 2020, cerca de 35 milhões de dólares americanos.


Comparados os anos 2018 e 2019, onde as importações estiveram acima de mil milhões de dólares, o embaixador revelou que os do ano passado "são insignificantes".
Oupa Ephraim Monerang foi acreditado em Angola em Dezembro de 2020.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia