Política

Angola acolhe 10ª Cimeira dos Chefes de Estado e de Governo

O ministro das Relações Exteriores reafirmou, quinta-feira (13), em Bruxelas, Bélgica, o compromisso de Angola realizar, em 2022, em Luanda, a 10ª Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da Organização de Estados de África, Caraíbas e Pacífico (OEACP).

15/10/2021  Última atualização 06H40
Téte António e Georges Chicoti reuniram em Bruxelas
O chefe da diplomacia angolana, na qualidade de presidente em exercício do Conselho de Ministros da OEACP, fez estas declarações durante uma sessão extraordinária do Comité de Embaixadores da organização, que congrega 79 Estados-membros.

Téte António e o secretário-geral da OEACP, Georges Chikoti, assinaram o acordo-sede para que Angola acolha o evento no próximo ano.

O Comité de Embaixadores e o Conselho de Ministros, estabelecidos nos termos do Acordo de Georgetown Revisto, são dois órgãos fundamentais no quadro da estrutura institucional da OEACP.

Téte António reiterou  o engajamento da República de Angola em contribuir, cada vez mais, para implementação do Plano de Acção adoptado pela 9ª Cimeira de Chefes de Estado e de Governo, realizada em 2019, na República do Quénia, bem como o compromisso de realização, ainda este ano, da 113ª sessão do Conselho de Ministros.

Na qualidade de presidente do Conselho de Ministros, Téte Antonio defendeu maior visibilidade da organização, identificar e abrir a diversificação das parcerias. O ministro das Relações Exteriores reconheceu que, apesar das dificuldades causadas pela Covid-19 no mundo, sobretudo o impacto nos países da OEACP, "a organização conseguiu alcançar alvos que pareciam difíceis, entre os quais a finalização do acordo de parceria pós-Cotonou, bem  como a reestruturação interna da OEACP.”

Segundo Téte António, "é verdade que a OEACP ainda tem muito caminho pela frente”, lembrando que "a nova parceria com a União Europeia, em alguns casos, não está muito clara”.

"A lista da União Europeia das jurisdições fiscais não cooperativas e dos países terceiros relativamente à luta contra o terrorismo e lavagem de capitais e financiamento do terrorismo, afecta injustamente alguns dos nossos membros e tem que ser revista”, defendeu o ministro. Em Bruxelas, o ministro das Relações Exteriores manteve um encontro de trabalho com Stanislav Rascan, secretário de Estado e ministro dos Negócios Estrangeiros para Cooperação e Desenvolvimento da República da Eslovênia, país que actualmente detém a presidência rotativa da União Europeia.
Manteve, igualmente, um encontro de trabalho com quadros seniores do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Bélgica.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política