Economia

Andulo prevê colher mais de 9 mil toneladas de feijão

A Estação de Desenvolvimento Agrário (EDA), no município do Andulo, Bié, prevê colher até final da campanha agrícola, iniciada em Setembro último, cerca de nove mil toneladas de feijão.

21/07/2020  Última atualização 22H57
Edições Novembro © Fotografia por: Agricultura familiar ganha incentivos com mais imputs

Segundo o chefe da repartição municipal, Barnabé Sanguali, na presente campanha, mais de 19.200 famílias camponesas beneficiam de ajudas directas do governo da província para a compra de impute agrícolas.

“No âmbito do programa de desenvolvimento rural, o governo está a potencializar os agricultores na produção em grande escala de vários produtos como o feijão, o milho, a batata e outros cereais", sublinhou.

Barnabe Sanguali afirmou ainda que o incentivo do governo, por intermédio da direcção provincial da Agricultura, tem como objectivo colocar os materiais de produção à disposição da população, para produzir alimentos em qualidade e quantidade.

Este ano a EDA entregou várias toneladas de fertilizantes, charruas, enxadas, catanas, limas e animais de tracção às associações e cooperativas agropecuárias, para garantir o aumento da produção, “que este ano previmos colher mais de nove mil toneladas de feijão”, garantiu.

O governo da província entregou no Andulo, instrumentos agrícolas, fertilizantes, juntas de tracção animal e embarcação de pesca fluvial a mais de 100 ex-militares associados em cooperativas de produção agrícola, no âmbito do programa de reintegração social.

A administradora, Celeste Adolfo, disse na ocasião que entrega dos imputs visa criar condições de vida para os desmobilizados de guerra. “Pretendemos ajudá-los a montar pequenas empresas geradoras de rendimentos familiares, bem como incrementar a produção agropecuária e de prestação de serviços nas comunidades”, disse a administradora.

A distribuição dos meios, testemunhada pelo vice-governador provincial para o sector Técnico e Infra-estruturas, abrangeu os grupos de desmobilizados organizados em cooperativas, associações de mulheres viúvas e órfãs.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia