Reportagem

Ana Isabel valoriza conforto na Centralidade da Quilemba

Arão Martins | Lubango

Jornalista

Depois de 41 anos a viver em péssimas condições no antigo bairro do Camazingo, na cidade do Lubango, a antiga fundista Ana Isabel, há dois anos, carregou as malas que adquiriu no Japão, Estados Unidos da América, Espanha e Portugal para a sua nova moradia.

14/11/2021  Última atualização 08H55
Ana Isabel, antiga gazela do atletismo © Fotografia por: Edições Novembro
 Quem a viu no acto da mudança pensou que ela estava de viagem para o exterior do país. Mas não. O seu destino era a centralidade da Quilemba, a cerca de 15 quilómetros da cidade do Lubango. Para além das malas Ana Isabel mobilizou um grupo de jovens para desarmar parte da mobília (mesa, cadeiras, armário, canto-bar, cama), geleira, frigobar, televisor, aparelho de som e outros bens feitos de madeira cromada. 


Professora de educação física e formada em engenharia ambiental pelo Instituto Superior Politécnico Tundavala da Huíla, Ana Isabel precisou derrubar parte da parede do interior da casa e da porta de entrada feita de ferro, da sua casa do Camazingo (bairro recentemente demolido) para retirar o mobiliário, grande parte do qual adquirido com dinheiro dos prémios ganhos nas diversas competições nacionais e internacionais, tais como provas de pista, corta-mato, maratonas... 


Na troca de casa, Ana Isabel não esqueceu o jornal mural que continha as fotografias que retratam a sua carreira desportiva, interrompida no auge, em 2007, devido a uma lesão no joelho esquerdo.
A satisfação de Ana Isabel quando mudou de um bairro sem condições de sanidade para a moderna centralidade da Quilemba era imensa, tal como recordou para o Jornal de Angola.


"Parecia mentira. Porém, é um sonho concretizado. Há muito que clamava por uma casa em condições”, disse, acrescentando que vivia num bairro sem urbanização, saneamento básico e com problemas de acessibilidade. Apesar de ter água na torneira faltava quase tudo. 


Em caso de óbito, lembrou, os familiares do falecido eram obrigados a transladar a urna pelo tecto.
Ana Isabel mostrou-se satisfeita, ao fazer parte dos primeiros moradores a habitarem o bloco U, na centralidade da Quilemba.

A caminho de dois anos como moradora da Quilemba, Ana Isabel reconheceu o conforto que encontrou na centralidade, desde o saneamento básico, energia eléctrica, água potável, arruamentos, privacidade e, sobretudo, a tranquilidade.


Mudança valiosa

A mudança de bairro resultou da compensação feita pelo governo, no quadro do programa de requalificação do antigo bairro do Camazingo.
"Concretizou-se um sonho de há muitos anos, de ter casa com dignidade”, disse, acrescentando que já tinha solicitado, por diversas vezes, ao governo provincial da Huíla, o patrocínio de uma moradia em reconhecimento do seu contributo no desenvolvimento do atletismo na província da Huíla, em particular, e do país em geral.


Ana Isabel elevou bem alto a bandeira do país no mundo, ao participar, em representação da nação, em 1991 no Cross Country, na Bélgica, nos Jogos Pan-africanos do Egipto, na corrida da Enatel, em Portugal, no Meeting da Maya, em Portugal e na prova de apuramento para a selecção nos 10 quilómetros de Singapura e no campeonato do Mundo em Tokyo, Japão, nos 1500 e 3 mil metros.
Participou ainda nos jogos olímpicos de Barcelona, Espanha (1992), onde ficou em 9º lugar nos 10 mil metros e em 4º lugar nos 3 mil metros.


A antiga Gazela, nome atribuído pelos jornalistas desportivos Pepé António e Manuel Rabelais, foi a única atleta que conquistou a medalha de prata nos jogos Pan-africanos realizados na cidade de Alexandria, no Egipto. Conquistou ainda uma medalha de ouro nos Jogos Pan-africanos em Harare, Zimbabwe.


Ana Isabel conquistou por duas vezes o primeiro lugar na corrida de fim de ano Demóstenes de Almeida, que visava homenagear o velho Demo, considerado o Fundador do Atletismo em Angola. Ana Isabel confessou que graças ao desporto pôde alcançar uma vida melhor.


"Graças ao atletismo conheci quase todos os países do mundo, faltando apenas Madagáscar, por sinal, um país africano”, explicou. "Se não fosse o atletismo estaria a viver na comuna da Arimba, minha terra natal, a beber macau, caporroto, vulgo ‘canhome’ e outras bebidas”, admitiu.


Segundo disse, ela tem o desporto como pai e a única coisa que a preocupava desde cedo era ter uma moradia condigna.
Ana Isabel tinha sob sua tutela 29 pessoas, boa parte formada academicamente e profissionalmente e constituiu família. Actualmente tem sob sua responsabilidade seis pessoas.


Com o desaparecimento prematuro dos seus progenitores, segundo ela, é um orgulho ser mãe e pai ao mesmo tempo.
Humilde, simples, acolhedora, dinâmica e trabalhadora, a nova moradora da centralidade da Quilemba enaltece a iniciativa do antigo governador da Huíla, Luís Nunes, que atendeu o sofrimento da população que vivia no antigo bairro do Camazingo. Para ela, viver na Quilemba é sinônimo de conforto, saúde e paz.
"Ficou a saudade de viver em comunidade, porém, o conforto a que estou submetida numa vivenda isolada, T3, vai aumentar a minha esperança de vida”, adiantou.



Mentora do projecto Okuhteca

Mentora do projecto de massificação do atletismo denominado Okuhateca em nhaneka humbi, que em português significa "vamos correr”, Ana Isabel gaba-se dos resultados alcançados cinco anos depois. Segundo ela, o projecto está implementado nos 14 municípios e já movimenta mais de 5 mil crianças com idades compreendidas entre 9 e 17 anos. O projecto está implementado em todas as escolas do ensino público e privado e conta com o suporte dos professores de educação física.


Exemplo do êxito

Francisca Walende, 18 anos, natural de Caconda (236 quilómetros a norte da cidade do Lubango), actual campeã dos 800 metros, 1500 e 3 mil metros nos escalões juvenis e júnior, é prova do sucesso do projecto Okuhateca. A atleta, que se encontra a residir sob o mesmo tecto de Ana Isabel, faz parte da selecção nacional de juvenis e júnior. Participou nos mais recentes campeonatos da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), Campeonato da Zona 5 e outros. A par de Walenda, Ana Isabel tutela outros jovens que despontam nos municípios do Cuvango, Gambos e Chicomba.



Ana Isabel pretende, com esse projecto, descobrir talentos e lapidá-los para o engrandecimento da modalidade no país.
A antiga Gazela é a actual presidente da Associação Provincial de Atletismo da Huíla, estando a cumprir o seu segundo mandato. Em 2012, foi eleita diva dos desportos de Angola. No mesmo ano recebeu os diplomas de mérito, um pelo Ministério da Juventude e Desporto e outro na Gala da Mulher por contribuir para o desenvolvimento do desporto na província.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Reportagem